CamaquãCidadesGeralMais Notícias

Caminhoneiros ganham apoios importantes em Camaquã

A concentração dos caminhoneiros na BR 116, em Camaquã, ganhou o apoio dos taxistas da cidade, após decisão tomada na manhã desta quinta-feira, 24 de maio. Desde às 13, desta tarde, os motoristas cruzaram os braços e colocaram seus carros, cerca de 70 veículos, parados junto aos caminhões no estacionamento do Posto SIM.
A alta nos preços dos combustíveis também é um complicador no serviço da classe e, de acordo com representantes da categoria, tem ficado inviável prestar o serviço.
“Queremos que o governo arrume essa bagunça que está o país e para de prejudicar quem quer trabalhar”, protestou o taxista Afonso.
Para o caminhoneiro João Pilate, que integra o protesto, o preço do diesel deveria estar na faixa dos R$ 2,70, no máximo, para que o frete tivesse viabilidade. “Temos um custo de cerca de 70% pra fazermos uma viagem. Sobra 30% pra todas as outras despesas. Não tem como aguentar. Esperamos que o governo atenda nossa reivindicação logo, mas com uma proposta justa, do contrário permaneceremos parados, sem prazo de retorno”, afirmou o caminhoneiro.
O gerente do Posto SIM, Diego Mendes, que acompanha o movimento de perto, reafirmou o apoio da rede aos caminhoneiros. “Hoje pela manhã servimos um café aos manifestantes e estamos organizando junto com as transportadoras um almoço pra amanhã, pois entendemos que essa é uma luta justa e necessária, além de pacífica e espontânea”, disse. Ele acrescentou que mesmo com a intervenção da Polícia Rodoviária Federal que liberou a passagem aos que queriam seguir viagem, poucos deixaram o local, comprovando a espontaneidade dos que se manifestam. Só junto ao Posto SIM são cerca de 300 caminhões parados.
A paralisação dos caminhoneiros vai completar o seu quarto dia e diversos produtos e serviços começam a faltar para a população. Além da falta de gasolina nos postos, alguns produtos alimentícios também estão escasseando nos supermercados.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Fechar

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios