Conheça a história de Ana Maria: a camaquense de três anos portadora de paralisia facial

0
60

Mãe de Ana busca doações para tratamento da filha. Menina também sofre com graves crises de refluxo e hérnia no esôfago

A pequena Ana Maria Janke Dumer, de três anos, luta pela vida desde o nascimento. A menina é portadora da Síndrome de Moebius, também conhecida como paralisia facial. Aos 10 meses, Ana fez a primeira cirurgia devido a um quadro grave de refluxo. Porém, mesmo após o procedimento, as crises de refluxo pioraram.

Em janeiro de 2016, a menina precisou fazer uma tomografia de tórax. O exame revelou uma hérnia no esôfago. Em dezembro do mesmo ano, devido ao surgimento da enfermidade, Ana Maria ficou sete dias internada no Hospital Conceição, em Porto Alegre, onde se trata desde que nasceu.

Além dessas doenças, a menina também sofre com a estenose pilórica. A doença se desenvolve devido ao fechamento de um músculo chamado piloro, que fica localizado no estômago e impede a digestão correta. Devido à estenose, a pequena Ana se alimenta por meio de uma sonda. Qualquer grama a mais na alimentação pode causar fortes vômitos, desidratação e perda de peso.

Para amenizar a situação, Ana Maria precisa de uma bomba de infusão. O aparelho, responsável por controlar a quantidade e o tempo da alimentação, daria melhor qualidade de vida à menina. Porém, a bomba custa cerca de R$ 5 mil, o que é inviável devido às condições financeiras da mãe, Erli Janke Dumer, de 34 anos, que sozinha enfrenta esta batalha junto da filha. A família mora no bairro Bom Sucesso.

“Não posso trabalhar pois me dedico em tempo integral à Ana. Ela recebe um salário benefício do Governo por ser especial, mas vai tudo no tratamento dela. A situação está muito difícil, mantenho a casa com doações que recebo.”, desabafa Erli.

Com o objetivo de arrecadar fundos para a compra da bomba de infusão, Erli está vendendo uma rifa. A mãe afirma que seguidamente realiza campanhas para juntar o dinheiro necessário para adquirir o aparelho.

A preocupação de Erli também está no desenvolvimento da filha. Ela conta que os médicos notam retrocesso gradativo no tratamento da menina. “Ela está perdendo muito peso e com a imunidade baixa.”, diz a mãe.

A pequena precisa realizar três procedimentos cirúrgicos, mas tudo depende da melhora do atual quadro de saúde de Ana. Durante a cirurgia, os médicos pretendem corrigir a estenose pilórica, a hérnia no esôfago e inserir uma válvula no estômago da menina para tratar o refluxo. Porém, a equipe médica não garante o sucesso da cirurgia.

Já a paralisia facial não tem cura, mas Ana faz fisioterapia respiratória diariamente. A mãe, Erli, pretende entrar com pedido para realizar tratamentos de fisioterapia e fonoaudiologia na Associação de Assistência à Criança Deficiente (AACD), em Porto Alegre.

Apesar de toda luta, mãe e filha seguem esperançosas por dias melhores. “O que me motiva é ver ela acordar todos os dias. Apesar da Ana ser “revirada do avesso” no hospital, ela adora esse mundo e diz que é a “doutora Ana”, conta a mãe, emocionada.

Para realizar doações de qualquer valor, a conta para depósito é:

Caixa Econômica Federal

Agência: 0460

Operação: 013

Conta Poupança: 77253-8

Em nome de Erli Janke Dumer

Fonte: clic Camaquã

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.