Corte de eucaliptos na praia de Arambaré causa polêmica

As dezenas de árvores de eucalipto responsáveis pela sombra na beira da Lagoa dos Patos foram cortadas, surpreendendo os moradores de Arambaré ao verem galhos e troncos caídos na praia da Costa Doce. O corte de mais de 40 árvores, que há décadas refrescavam veranistas e habitantes locais, atendeu a um pedido da prefeitura municipal.

Moradores da região se manifestaram em diversas mídias criticando a ação contra estas que são tidas pela população como parte dos pontos turísticos da cidade. De acordo com um morador, não existe explicação para a perda ambiental. Ele conta que sua família sempre cuidou da área, fazendo limpezas e plantando outras espécies de árvores.

“Parece que tiraram um doce de coco da mesa da gente. O grande diferencial de Arambaré, em relação a outras praias, é a sombra em toda a extensão. Ali embaixo dos eucaliptos tem uma cancha de bocha, tem a pista de caminhada. Era o lugar mais concorrido no verão”, frisou o morador.

Cinco ou seis árvores haviam sido derrubadas na semana passada. Na terça-feira, enquanto estava viajando, o morador relata que vizinhos viram um homem munido de uma motosserra tombando os eucaliptos.

Mesmo plantando figueiras próximo às plantas exóticas, o morador diz que não tinha nada contra as árvores e utilizava sua proteção a favor da vegetação nativa.

“Quando plantei figueiras ali, deixei algumas sob a proteção dos eucaliptos. Essas prosperaram; as outras (que plantou longe) tiveram dificuldade para se desenvolver”, concluiu.

Algumas árvores caíram sobre as figueiras

Além da flora que sofreu consequências pelo corte dos eucaliptos, vários ninhos de pássaros foram encontrados no chão, com ovos quebrados espalhados entre a vegetação, contou outra moradora que não quis se identificar.

— É uma coisa totalmente descabida, porque trabalhamos com a preservação do meio ambiente. Acredito que o ecossistema em torno da lagoa é um patrimônio da humanidade, não só de Arambaré ou dos moradores da região. Então, o próprio gestor público destruir aquela área, assassinar aquelas árvores, é um crime que não tem perdão. Há uma indignação de toda a população — afirma.

A moradora conta que alguns dos eucaliptos foram plantados há décadas por um morador humilde da comunidade.

— Foram plantados há mais de 50 anos e destruídos em menos de três dias. Por mais que se replante, vai demorar 60 anos para termos árvores desse porte, com a sombra maravilhosa que nos proporcionavam. O dano ambiental não tem reparação.

A Prefeitura de Arambaré afirma que o motivo para o corte das árvores é o risco oferecido pela plantas — com 12 metros de altura — à fiação elétrica. Segundo a prefeita municipal, Joselena Scherer (PDT), serão removidos cerca de 150 eucaliptos. No lugar, haverá o replantio de 300 árvores de espécies nativas.

— Esses eucaliptos têm quase 20 anos e são muito altos e perigosos. (Eles podem) quebrar no meio e cair em cima da alta tensão e das residências — argumenta.
A prefeita lembra que durante uma enchente no município, em novembro de 2015, algumas árvores precisaram ser cortadas em função do risco de queda.
— No ano passado, os moradores do bairro Costa Doce pediram que fosse tomada alguma providência em relação ao risco de queda dos eucaliptos — defende Joselena.

A prefeitura da cidade afirma que possui respaldo jurídico para cortar os eucaliptos, conforme a legislação estadual. A madeira será utilizada para a construção de pontes em Arambaré.

Legislação aplicada:

Art. 14 do Decreto Estadual nº38.355/98.
Resolução CONSEMA Nº288/2014
Resolução CONSEMA Nº291/2015”

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Fechar

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios