Justiça condena mulher que matou o afilhado a 29 anos de prisão

O Tribunal do júri de Camaquã condenou nesta quinta-feira, 30 de maio, a ré Laura Fernandes da Luz Drosdosky, a 29 anos e seis meses de prisão pelo crime de homicídio doloso, sob a acusação de ter assassinado o próprio afilhado, um menino de quatro anos.

O crime ocorreu no município de Dom Feliciano, no ano de 2013, quando a condenada injetou inseticida agrícola em um pote de iogurte e ofereceu ao menino que consumiu o produto e morreu no dia de seu aniversário, em 21 de maio daquele ano.

Laura já havia sido condenada pelo assassinato da avó do menino, que também é sua sogra. A senhora de 72 anos havia sido encontrada morta em casa, dias antes, em 07 de abril. O corpo da vítima foi exumado e os peritos encontraram sinais de veneno nos órgãos. O veneno, agrotóxico para tabaco, teria sido colocado no chimarrão da vítima. Durante as investigações, a polícia encontrou a seringa e o veneno na casa da mulher.

A ré permaneceu no presídio de Camaquã enquanto aguardava o julgamento. Ela também é suspeita pela tentativa de envenenamento do próprio marido e da mãe do menino que ela matou.

A condenação desta quinta-feira (30) considerou também a crueldade do ato criminosos, que submeteu a vítima a uma morte dolorosa.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios
%d blogueiros gostam disto: