PRESIDENTE DO PTB FALA EM CHAPA DE CONSENSO


sandro_elsnerMariana Pimentel
– O empresário Sandro Elsner, que assumiu recentemente a presidência do diretório municipal do PTB, concedeu uma entrevista ao Regional falando do planejamento político do partido que busca uma unidade entre as siglas no município com vistas a uma candidatura única ao cargo de prefeito da cidade.
Regional: Tendo e vista que teremos eleições municipais em breve quais os encaminhamentos do PTB neste sentido até agora?
Sandro: No final do mês de maio tivemos a reformulação da direção partidária quando assumi a presidência e posterior a isso tivemos um primeiro encontro com as lideranças pra alinhar de que forma a gente vai se posicionar e buscar nossas articulações políticas pra formar alianças visando o pleito municipal. Então nós discutimos e chegamos a um consenso dentro do grupo que o melhor caminho é a trabalhar a união de todos os partidos, pois entendemos que desta forma o município sai ganhando, desde que consigamos construir uma candidatura em conjunto, sendo que o candidato seria uma segunda etapa, quando antes trabalharíamos no desenvolvimento de um plano de governo com uma visão de futuro, de gestão de quatro anos ou mais. Seria assumir um compromisso, todos juntos e então faríamos a escolha dos candidatos a prefeito e vice que mais representem esse modelo de gestão construído.
Regional: Sabemos que essa ideia já vem sendo ventilada a pelo menos dois meses no município, mas ela já foi discutida com líderes de outros partidos?
Sandro: Ainda não houve nem uma reunião oficial. O que houve foram alguns contatos informais com algumas lideranças de outros partidos como forma de identificarmos o que cada um pensa em relação a essa ideia que partiu do PTB, mas que sabemos já existem outros partidos que se posicionam favoráveis a uma união. Nós entendemos que o PTB por ser o partido que está na gestão do município deve ser um dos protagonistas na promoção destas discussões. Então acreditamos que dentro do mês de junho a gente provoque esta reunião com todos os partidos e até mesmo lideranças da comunidade independente de segmento político, mas que são importantes neste momento de tomada de decisão.
Regional: Você já identificou algum tipo de resistência a esta proposta?
Sandro: Vão ter com certeza pessoas que divergem deste posicionamento, mas o que a gente percebe é que as maiores lideranças também buscam isso, pois acho que estão entendendo que todos temos o mesmo objetivo que é o desenvolvimento do município, que as pessoas que estão aqui vivam bem e que as coisas aconteçam. Então se todos querem a mesma coisa, considerando-se que todas são pessoas de bem, entende-se que se estivermos juntos a chance de acertar é bem maior. Uma pessoa sozinha nunca vai ser mais inteligente que um grupo, assim como um partido sozinho não será mais inteligente que todos os outros juntos buscando o mesmo objetivo que é o desenvolvimento municipal.
Regional: Esse modelo já ocorreu no município e não se manteve. O que fazer para garantir o sucesso desta vez? Como lidar com a ausência de oposição?
Sandro: A gente aprende com estas situações, com os próprios erros, enfim. Eu entendo que o processo da maneira que está se buscando criar é um pouco diferente do anterior no momento em que todos os envolvidos neste processo assumam um compromisso entre si. Então nós precisamos ter um líder que vai conduzir esse processo e que será o prefeito, porém ele deverá estar comprometido com o grupo de pessoas que vão ser fiscalizadoras das suas ações, portanto o compromisso político deste gestor vai além de um partido, mas com toda a comunidade.
Regional: Mesmo assim não corre o risco deste grupo estar envolvido com a administração e deixar passar despercebida uma possível inércia ou acomodação da gestão pública?
Sandro: Eu entendo que esse grupo tem que estar fechado não com a administração, mas com o projeto de governo e de futuro do município. Essa discussão e a divergência de ideias têm que existir dentro do grupo, mas também precisam existir os debates, na busca de acertos e encaminhamentos de ações, de modo que a maioria decida e a administração se comprometa em por em prática aquilo que foi assumido por todos. Teremos que traçar um planejamento macro, determinar metas e elaborar um plano de ação temporal para poder alcançá-las.
Regional: Este planejamento já está pré-moldado?
Sandro: Não. Porque a gente entende que precisa ser uma construção em conjunto. Lógico que algumas ideias já existem e iremos juntá-las com outras que virão e ajustar de forma coletiva.
Regional: Dentro dessa possibilidade de eleger um prefeito com chapa única você se credencia como pré-candidato?
Sandro: O prefeito atual, seu Carlos Ziulkoski tem sinalizado no sentido de não concorrer a reeleição, independente do formato, e dentro desta lógica eu estaria sim credenciado a ser um pré-candidato do partido, mas entenda-se que dentro desta construção de unidade outros partidos também tem o mesmo interesse, lembrando que esse é um cargo de extrema importância e que muitas vezes as pessoas, embora almejem, não tem o perfil para tal, então esta também é uma questão que será avaliada em grupo. Neste sentido o que precisa é que cada partido envolvido indique as pessoas que dispõem, para após a elaboração do projeto o grupo identifique quem melhor se encaixa no perfil adequado para assumir o cargo de gestor.
Destaco que essa é uma proposta que será levada a um grupo maior, mas cada partido é livre pra tomar suas decisões de estar ou não envolvido neste processo. É lógico que gostaríamos que todos fizessem parte para que a proposta seja forte, mas entendemos que não é uma construção fácil.
Regional: Supondo que não ocorra a chapa de consenso você estaria disposto a ser o pré-candidato a prefeito pelo PTB na eleição de outubro?
Sandro: Da mesma forma se não conseguirmos a construção com todos, vamos buscar a maior aliança possível e aí da mesma maneira o nome pra cabeça de chapa tem que surgir da decisão do grupo, independente de partido.
Regional: Qual a primeira ação administrativa necessária a ser tomada pelo próximo gestor de Mariana Pimentel?
Sandro: Buscar a aproximação com as comunidades. Considerando que nosso município é pequeno, essa é uma ação possível que vai auxiliar muito nas tomadas de decisão, a partir da participação popular, discutindo as prioridades com as pessoas.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Fechar

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios