Movimento ERS-715 ASFALTO JÁ buscou informações no Daer

0
518

O grupo de trabalho que integra o movimento ERS-715 – Asfalto Já, formado por membros de Cerro Grande do Sul e Sentinela do Sul, esteve mais uma vez no Departamento Autônomo de Estradas e Rodagens (Daer-RS), em Porto Alegre, em busca de informações sobre o projeto de asfaltamento do trecho de 24 km da rodovia, que liga os dois municípios a BR-116.
O encontro ocorreu no Departamento de Infraestrutura do órgão estadual, na sexta-feira, 27 de abril, quando o grupo foi recebido por uma equipe técnica, incluindo o engenheiro superintendente de construções rodoviárias, Adalmiro Neto e a engenheira adjunta, Andrea Schopf, que responderam diversos questionamentos encaminhados pelo movimento ao Daer, via ofício.
As questões referiam-se a possíveis pendências de ordem técnica e ambiental no projeto e sobre quais encaminhamentos têm sido feitos para solucioná-las, com vistas de que o mesmo esteja regular sobre todos os aspectos e apto para receber os recursos financeiros necessários quando estes forem disponibilizados.
Os engenheiros informaram que as readequações ao projeto inicial ainda não foram concluídas pela Incorp Consultoria & Assessoria, empresa contratada para fazê-las. Adiantaram que não será mais utilizado o solo cimento no piso, conforme sugerido num primeiro momento, pois as jazidas da região se esgotaram e uma nova base e sub-base deverá ser apresentada.
Da reunião já resultaram alguns avanços e nesta segunda-feira, 30 de abril, foi dada a ordem de reinício aos trabalhos do projeto, contudo não foi estimado prazo para sua conclusão, embora os engenheiros acreditem que não seja concluído neste ano. Também foi solicitada a Incorp, uma estimativa de custo da obra e a divisão do trecho em dois lotes de 12 km cada, para fins de licitação, com o objetivo de facilitar a captação e aplicação dos recursos financeiros.
De positivo nos trâmites restou o fato de que o contrato com a antiga empresa Procon Construtora, responsável pela execução da obra, já foi rescindido e não há pendências que impeçam uma nova licitação. Também não existe nenhum entrave de ordem ambiental.

Recursos financeiros
Não existem recursos financeiros disponíveis ou previstos para a execução da obra de asfaltamento da ERS-715. Do contrato rescindido restou um remanescente estimado entre 3 e 5 milhões de reais, contudo é dinheiro que não existe em caixa.
O departamento de infraestrutura do Daer informou que a prioridade do Estado é a duplicação da RS-118, além de recuperações e asfaltamento de alguns trecho de rodovias que possuem recursos proveniente do Banco Mundial (Bird).

Estratégias
A partir das informações obtidas na reunião o movimento ERS-715 – Asfalto Já deverá reunir seus integrantes para definir novas estratégias de trabalho que devem se dar no sentido de mobilizações políticas que resultem na indicação de recursos no orçamento do Estado que garantam a retomada das obras.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.