Pavimentação da ERS-713 incentiva economia de Sertão Santana

2
485

A movimentação intensa de máquinas e operários já faz parte da rotina de quem circula diariamente pela ERS-713, que dá acesso a Sertão Santana. Esperada há mais de 20 anos pela comunidade, a obra de pavimentação da rodovia é a nova aposta para impulsionar o desenvolvimento do município, que tem a agricultura como base da economia.

O asfaltamento dos 14,6 quilômetros é executado pelo governo do Estado, via Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem (Daer) – autarquia vinculada à Secretaria dos Transportes. A estrada está incluída no Programa Acessos Municipais, que conta com financiamento do BNDES. No total, serão investidos R$ 10, 6 milhões.

“Estivemos em Sertão Santana no final do ano passado, junto com o governador José Ivo Sartori, quando demos a ordem de início para essas obras”, salienta o secretário Pedro Westphalen. “É gratificante saber que a pavimentação da rodovia evoluiu desde então e segue em pleno andamento. Empenhamo-nos para que todas as condições técnicas e financeiras fossem atendidas e esse importante projeto virasse realidade.”

Os trabalhos estão mais adiantados nos quilômetros finais da estrada, próximo à entrada da cidade. No local, há frentes de trabalho tanto na finalização da terraplenagem quanto na implantação do pavimento. “Já começamos a aplicar a capa de asfalto quente e, em breve, avançaremos em direção ao entroncamento com a BR-116”, afirma o diretor-geral do Daer, Rogério Uberti. “Trata-se de um dos acessos municipais que estão em melhor ritmo dentro de nosso programa e concluí-lo é uma de nossas metas para 2017.”

Otimismo no agronegócio

Para o prefeito de Sertão Santana, Írio Miguel Stein, a pavimentação da ERS-713 vai resultar em investimentos, principalmente, na agricultura do município. “Estamos a 80 quilômetros de Porto Alegre e, certamente, esse acesso será bem-vindo para escoarmos nossa produção com mais facilidade”, complementa. “Além disso, o arroz beneficiado pelos seis engenhos que temos aqui vem de outros municípios, o que aumenta ainda mais a importância do asfalto até nossa cidade.”

É o que comprova o engenheiro de produção Ricardo Drexler, 32 anos, que gerencia uma das indústrias de beneficiamento e transporte de arroz de Sertão Santana. De acordo com ele, o empreendimento recebe anualmente 10 mil toneladas do grão de cidades vizinhas – como São Lourenço, Camaquã, Barra do Ribeiro, Tapes e Mariana Pimentel. Mas a partir da conclusão do acesso pela ERS-713, o número de fornecedores deve aumentar. “Hoje, precisamos oferecer benefícios aos transportadores, pois muitos deles não querem circular com os caminhões pela estrada de chão”, explica Drexler. “Acreditamos que o asfalto vai baixar o frete e o custo dos insumos, favorecendo não só a produção de arroz, como também outros setores da economia local.”

Fonte: Ascom Daer/Texto: Júlio Cunha Neto

2 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here