Por Simone T. B. M. V. Iamim

Simone T. B. M. V. Iamim – Eng. Civil e de Segurança do Trabalho – CREA-RS 206.176

Chegamos na semana da Páscoa, onde a palavra Páscoa – Pessach, em hebraico significa passagem. Para os judeus, ela representa a travessia pelo mar Vermelho, quando o povo liderado por Moisés passou da escravidão do Egito para a liberdade na Terra Prometida. Para os cristãos, ela tem um sentido mais metafísico, o significado é união. A Páscoa é um festival que celebra a ressurreição de Jesus ocorrida três dias depois da sua crucificação no Calvário, conforme o relato do Novo Testamento. O ovo também é um símbolo da páscoa, pois representa o começo da vida, a fertilidade e a esperança de vida nova.

Chegamos a esta semana revendo um novo tempo de responsabilidade social individual e coletiva, nos deparamos com grupos de pessoas unidas por características e anseios comuns e um único desafio, combater o Covid-19. E diante dessa situação retornamos ao conceito maior de todo engenheiro de segurança: Como prevenir as pessoas que trabalham em qualquer função ou segmento de um acidente ou doença de trabalho e até mesmo ao vírus que atinge a todos. Como garantir e dar garantia ao trabalhador, ao empregador, as famílias, a comunidade e pôr fim a sociedade? Perguntas todas associadas primeiro a prevenção, segundo ao ambiente de trabalho adequado e seguro, assim teremos a consciência que cada etapa dará a garantia de saúde a todos estes grupos.

Estamos num tempo de muita resiliência, onde a mesma palavra tem vários significados e no sentido e contexto da ecologia e meio ambiente, a resiliência é a aptidão de um determinado sistema que lhe permite recuperar o equilíbrio depois de ter sofrido uma perturbação. Este conceito remete para a capacidade de restauração de um sistema, seja ele envolvendo o meio ambiente ou o meio social que vivemos, reflete bem o que estamos passando neste momento da pandemia mundial.

Assim passamos por uma parada nas nossas vidas, revendo fatores que originaram, para assim se adaptarmos para um esforço muito maior de atitudes e conflitos. Estes momentos nos levam a perceber que todas etapas que pulamos numa produção são de grande importância. Realizar uma manutenção, corrigir erros, verificar o que está fora de conformidade, ou mesmo paramos para compartilhar afetividade com nossas famílias e amigos, é uma valorização de superação pessoal e no nosso profissional.

Assim nosso recomeço inicia pelo que aprendemos e ensinamos que tudo que realizamos no nosso trabalho tem que ter prevenção de segurança e ter ações e ajustes para a utilização de equipamentos de segurança. Desprezávamos a sua importância, saímos do menor significado e passamos a ter atitudes e a consciência do significado do uso de cada EPI, e da exposição das nossas vidas na falta deles no nosso ambiente de trabalho.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) está preocupada e alerta em relação aos tipos de equipamentos básicos de proteção individual, máscara tipo N95 ou PFF2; óculos ou Face Shield; luvas; gorro; capotes impermeáveis devem ser usados de acordo com o ambiente, público alvo e tipo de atividade. E outras precauções devem ter com a utilização de álcool Gel 70%, e higiene pessoal como lavar as mãos corretamente toda vez que em contato com superfícies ou objetos, atos simples que se descuidados nos levam a morte.

É importante compreender que a sociedade é formada por interação, que nada é possível se não for compartilhado, dividido, neste caso a informação é o item que não pode faltar, pois até mesmo o ar que respiramos é compartilhado com todos.

Desejo a todos uma Feliz Páscoa!