Tecnologia, inovação e sustentabilidade são temas fundamentais que farão parte da programação da  31ª Abertura Oficial da Colheita do Arroz. Durante coletiva de imprensa virtual realizada nesta quinta-feira, dia 28 de janeiro, o presidente da Federação das Associações de Arrozeiros do Rio Grande do Sul (Federarroz), Alexandre Velho, destacou a responsabilidade deste setor que é protagonista na produção brasileira, em levar ao produtor ferramentas que o ajudem a ter cada vez mais eficiência no seu negócio.

O dirigente ressaltou, ainda, a forma híbrida pela qual o evento será realizado. “Muitas atividades como palestras, homenagens e o ato da abertura terão acesso pela internet ou presencial. No entanto, algumas ações serão exclusivamente presenciais como, por exemplo, as vitrines tecnológicas e a Feira”, explicou, observando, porém, que serão seguidos todos os protocolos sanitários  a fim de evitar riscos aos presentes. Velho colocou ainda  a autorização formal para a realização do evento feita pela Associação dos Municípios da Zona Sul do Estado do Rio Grande do Sul (Azonasul) e a confirmação no local da reunião da Câmara Setorial Nacional do Arroz.

Velho informou que a presença do vice-presidente do Brasil, general Hamilton Mourão, está confirmada presencialmente no ato da Abertura, assim como da ministra da Agricultura, Tereza Cristina, de forma on-line no dia 09, na Abertura das Palestras. Ressaltou também a participação no evento das Universidades Federais de Pelotas (Ufpel), Santa Maria (Ufsm)  e do Rio Grande do Sul (Ufrgs) apresentando seus experimentos, e da Epagri de Santa Catarina, da Embrapa e do Irga.

O presidente da Federarroz afirmou que cada vez mais o setor busca intensificar o sistema produtivo e não depender da monocultura, inclusive este ano abordando com mais intensidade a questão da pecuária. “Trata-se de um evento consolidado que há 30 anos atrai produtores de vários Estados brasileiros, assim como de outros países. Claro que este ano devido à pandemia não teremos pessoas de fora do Brasil. Mas pensamos que devido ao nosso protagonismo em mais de 200 municípios gaúchos que dependem desta cultura, era muito importante levar em frente a Abertura da Colheita com todos os cuidados necessários”, observou.

Também participaram da coletiva de imprensa virtual, o chefe-geral da Embrapa Clima Temperado, Roberto Pedroso, e o presidente do Instituto Riograndense do Arroz (Irga), Ivan Bonetti. Segundo Pedroso, a empresa apresentará tecnologias de oito das suas unidades de pesquisa no Brasil, tanto nas vitrines tecnológicas quanto em palestras. Bonetti, por sua vez, afirmou que o evento serve há muito tempo como modelo para outras culturas, salientando a importância econômica do arroz para o Estado na geração de receita e emprego.

Com o tema “Os Novos Rumos do Sistema de Produção”, a 31ª Abertura Oficial da Colheita do Arroz ocorrerá de 9 a 11 de fevereiro em formato híbrido, com opções on-line no site do evento e presencial na Estação Experimental Terras Baixas, da Embrapa Clima Temperado, em Capão do Leão (RS).  A realização é da Federarroz, correalização da Embrapa e patrocínio premium do Irga e do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).

Fonte: Federação das Associações de Arrozeiros do Rio Grande do Sul (Federarroz)