Um carro colidiu contra a sinaleira da esquina democrática, no centro de Camaquã, na madrugada deste domingo, 22 de dezembro, e destruiu o artefato que é um monumento histórico da cidade.

No Fiat Stylo, de cor branca estavam o motorista e duas mulheres. Todos tiveram ferimentos graves e foram socorridos por equipes do SAMU, da secretaria municipal de Saúde e do Corpo de Bombeiros que precisaram cortar as ferragens para retirar o homem que estava desacordado.

A Brigada Militar também atendeu a ocorrência. No interior do veículo foram encontradas diversas latas de cerveja, tanto cheias quanto vazias. O motorista poderá responder por Lesão Corporal e por Dano ao Patrimônio Público, que pode resultar em prisão.

Foto: redes sociais

A sinaleira

Foto: redes sociais

Além do acidente em si e das pessoas feridas a população camaquense lamentou o fato de ter o símbolo da cidade completamente avariado.

A sinaleira é uma doação do governo francês ao município e foi instalada em Camaquã no ano de 1953. Segundo historiadores existem poucas como ela no Brasil (estimam-se três apenas). O cruzamento das avenidas Presidente Vargas e Olavo Moraes, onde ela está instalada desde sempre, é tradicional ponto de encontro de manifestações populares, comemorações e cenário inspirador para fotógrafos e escritores.

Em suas redes sociais o escritor e historiador Catulo Fernandes destacou que noutro momento já havia defendido a retirada da sinaleira daquele local, visto o risco que ela corria por conta do trânsito.

“Cansei de alertar, e o Núcleo de Pesquisas Históricas avalizou para que a sinaleira fosse retirada dali e instalada como um monumento de destaque na Praça Donário Lopes, até que a cidade seja contemplada com o tão sonhado calçadão”, escreveu Catulo.