Mesmo com a comercialização da Safra 2017/2018 em fase inicial, a Associação dos Fumicultores do Brasil (Afubra) estima uma possível redução de 7% na produtividade do tabaco. Como o movimento das vendas, base para a pesquisa ainda é pequeno, o gerente técnico da entidade, Paulo Vicente Ogliari, explica que o percentual de quebra ainda pode variar. Com a tendência de queda na produção, há a perspectiva de aumento no preço.

A redução na produtividade se deve as condições climáticas adversas, como vendavais, queda de granizo e a estiagem que também afetou as plantações na fase de desenvolvimento. A variação dos preços dos poucos volumes comercializados na safra atual teve acréscimo de 5% em relação ao ciclo passado. A previsão inicial da Afubra é de uma produção de 685 mil toneladas de tabaco neste ciclo no Sul do Brasil (Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul), sem considerar a queda da produtividade.

Lavouras foram atingidas pelo granizo

Na localidade de Linha Nova, em Barão do Triunfo, as lavouras de fumo na propriedade de Jones Stropper Bayer, foram avariadas pelo temporal com queda de granizo registrada na terça-feira (27/02). Segundo o produtor, cerca de 50 mil pés de fumo que estavam no estágio final para a colheita foram atingidos, além dos 15 mil pés que recentemente ele havia retirado a bacheira. O produtor acionou o seguro para contabilizar as perdas. Segundo a Afubra, naquela região cerca de 60 fumicultores tiveram perdas em função do granizo.