Evento foi proposto pelo deputado estadual Marcus Vinícius, contrário ao modelo inicialmente proposto de pedágio na região

A Comissão de Segurança e Serviços Públicos da Assembleia Legislativa aprovou, na manhã desta quinta-feira (22), o requerimento do deputado estadual Marcus Vinícius de Almeida (Progressistas) para realização de uma audiência pública, que discutirá a proposta da Ecosul de prorrogação da concessão e instalação de novas praças de pedágio na região.

Serão convidados para a audiência pública, representantes do Ministério da Infraestrutura, do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), do Porto de Rio Grande e da Ecosul, além de deputados federais e estaduais, prefeitos e vereadores, entidades representativas de municípios da metade sul do Estado, transportadores e caminhoneiros. De acordo com Marcus Vinícius, o objetivo da audiência pública é elucidar toda a situação, que trouxe preocupação para a região.

A proposta da concessionária, conforme já apurado, prevê a instalação de duas novas praças de pedágio entre Camaquã e Porto Alegre: “Ao meu ver, a Ecosul apresentou uma proposta juridicamente inviável e economicamente injusta”, declarou Marcus Vinícius.

A proposta da concessionária prevê que os pedágios sejam instalados com o objetivo de obter novos recursos para subsidiar obras no Rio Grande do Sul, como a duplicação de oito quilômetros da BR-392, em Rio Grande; a recuperação da ponte do Canal São Gonçalo, na BR-392, em Pelotas; e a duplicação da BR-290, entre Eldorado do Sul e Pantano. “Carregando a metade sul de pedágios, a região deixa de ser atrativa para novas empresas e novos negócios. Além disso, o potencial produtivo dos empreendimentos já existentes acaba afetado”, expõe o deputado.