Banda Municipal de Sertão Santana conta com trabalho do Maestro Henrique Lemos

Após um grande período sem atividades com a Banda devido a covid-19, este ano deverá haver apresentação

 

E quem está a frente ensinando os tons, é o experiente Maestro Henrique Lemos, que já atuo no município desenvolvendo este trabalho por aproximadamente 12 anos. Formado em música a mais de 20 anos Henrique conversou com o Portal Clicr, onde destacou que este trabalho quase não foi possível devido á logística de locomoção, pois morador do município de Tramandaí Henrique também é maestro da orquestra municipal de sua cidade, e após 7 anos ele está de volta.

  

Acompanhe a matéria:

“Bom os últimos dois Maestros que a banda teve foi eu e o Rafael, onde ele desenvolveu um ótimo trabalho frente a Banda nesse período de 5 a 6 anos, o Rafael ele passou pela experiência da Banda comigo, foi aluno aprendeu muito bem os fundamentos, tendo muito sucesso e percepção de conseguir por uma forma auto de data a seguir os trabalhos, tendo uma boa relação com os alunos. É muito gratificante ver que esse trabalho que desenvolvi a anos atrás formou músicos no meio profissional cito o nome do Jaime Naibert, o Henrique, o Arthur Teifke, Dionata, e o próprio Rafael que foi Maestro, isso é muito gratificante ver que a Banda Municipal de Sertão Santana já deu frutos importantes para o município, e principalmente por se tratar de uma Banda com Sopro porque é a tradição da cultura Polonesa, Alemã e Italiana, sendo uma honra para o município onde muitos desses músicos tocam e se apresentam em Bandas típica e Bandas de baile” destacando o Maestro Henrique.

Maestro Henrique Lemos em ensaio na Escola Horizontes do Saber

 

Com a saída de Rafael para assumir seus projetos profissionais, a Banda precisava de um regente, e o que motivou Henrique a vir coordenar a Banda Municipal de Sertão Santana, foi o carinho que ele teve com os alunos, com a cidade, onde sente que Sertão Santana é sua primeira casa, e foi esse sentimento que motivou Lemos a vir.

Quando Henrique veio para Sertão Santana, logo em seguida surgiu a Covid, ou seja, parou tudo, foi um momento lamentável, e nesse ramo, muitos projetos sociais não andaram.

“Hoje se você acompanhar, muitos municípios já não têm mais Banda, porque os profissionais que estavam aptos naquela época, tiveram que migrar para outra área, e hoje é muito difícil buscar esse pessoal de volta sem pagar uma boa remuneração, os projetos sociais é meio oficina, não se tem remuneração se a pessoa não tem uma formação adequada…” comentou Henrique.

Já recentemente quando recebeu a Ligação da Secretária Cintia para retomar o trabalho com a Banda, Henrique foi meio resistente, contudo, após muita conversa e tratativas o professor optou por voltar e abraçar a Banda novamente.

Henrique descreveu também o grande carinho dos ex alunos que hoje são pais de famílias, sendo muito gratificante as lembranças e comentários da experiência de cada um que passou pela Banda Municipal.

“A Banda de Sertão Santana é algo significativo na cidade, é uma das veias principais do município, principalmente numa atividade cultural que as vezes carece em municípios do interior, sem falar dos inúmeros benefícios aos alunos, hoje se trabalhar com 30 alunos se desse 3 ou 4 saírem para área, é vitória e aqui em Sertão Santana a gente é a prova disso….” destacou Lemos.

Maestro Henrique em apresentação com a Banda Municipal de Sertão Santana 07 de Setembro de 2015 (Foto arquivo)

 

Banda Municipal de Sertão Santana

A banda é um projeto da Secretaria de Educação Desporto e Cultura e hoje conta com a participação de 33 alunos a meta é chegar aos 43 alunos participantes

Segundo Henrique agora que vem o desafio, deixar todos afinados para o 7 de Setembro, pois suas aulas são apenas uma vez por semana, tendo começado a umas três semanas, claro que conta também com o apoio de alguns ex-alunos que estavam tocando quando a Banda parou, e claro tem bastante gente nova. As aulas são realizadas as terças-feiras no turno da tarde e noite, a sede improvisada onde se guarda o material é no Anexo Rui Ramos atras do Ginásio e as aulas são realizadas na Escola Horizonte do Saber no turno da noite, deverá haver revezamento entre segunda e terça-feira, para dessa forma poder ajuntar mais os interessados.

 

Ainda há vagas:

O grupo que está praticamente fechado, contudo segundo Lemos é importante ter sempre pessoas que toquem o Sopro, Trompete, Trombone, Percussão pessoas que tenham habilidade em tocar uma Caixa, Bumbum e Prato essas vagas ainda estão em aberto, o restante tudo preenchido.

POLÍCIA

PRF apreende mais de 7 mil comprimidos de ecstasy em Porto Alegre

Três homens foram presos e mais de 7 mil comprimidos de ecstasy foram apreendidos na tarde de ontem (8) em Porto Alegre/RS. De acordo com...

Menino de seis anos morre após ser baleado dentro de casa em Imbé

Bryan Vidal Ferreira, de seis anos, morreu na manhã desta segunda-feira (8) em um hospital de Porto Alegre. Ele foi internado após ter sido...

Pai e filho são baleados dentro de residência em Imbé

Um policial militar da reserva, de 50 anos, e o filho dele, de seis anos, foram baleados após terem sua casa invadida por criminosos...