O ministro Luís Roberto Barroso que deve tomar posse como presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) nesta segunda-feira (25), às 17h, admitiu em fala a imprensa que as eleições municipais de 2020 poderão ser adiadas, caso o cenário nacional no país siga instável até o início de junho, em função do coronavírus.

Barroso afirmou que ideia é reprogramar o primeiro turno para 15 de novembro ou no máximo dezembro e deixou claro mais uma vez que é contrário a ideia de se fazer a eleição municipal junto com a eleição nacional, em 2022, o que exigiria a prorrogação por dois anos dos mandatos dos atuais prefeitos e vereadores.

“Sou totalmente contra essa possibilidade. A democracia é feita de eleições periódicas e alternância no poder”, afirmou.