Um cortejo motorizado puxado pela viatura Brigada Militar chamou a atenção de moradores do centro da cidade em Cerro Grande do Sul, no final da manhã desta segunda-feira, 14 de setembro.

No esquife que seguia no carro fúnebre estava o corpo do sargento da reserva, da Brigada Militar, Aladir Vega Baz, 87 anos, que faleceu neste domingo, 13 de setembro, por insuficiência respiratória.

Seu Aladir, como era carinhosamente conhecido na cidade, foi um dos primeiros policiais a trabalhar na comunidade, onde chegou no ano de 1962, quando ainda era Vila Fortaleza, 3° distrito do município de Tapes. No vilarejo com poucas casas na época decidiu fixar morada e formou família, tendo entrado pra reserva 20 anos mais tarde. Ele era viúvo de dona Irene Rodrigues Baz, auxiliar de enfermagem que também prestou relevantes serviços à comunidade e faleceu em dezembro de 2016, com 84 anos. O casal deixou duas filhas, uma neta e um neto.

Apaixonado pelas tradições gaúchas ele participou da fundação do CTG Sentinela da Fortaleza, em 1989, do qual foi presidente da comissão organizadora enquanto não havia patronagem oficial, na ocasião da construção do galpão e atual sede do centro de tradições, em Raia do Ipê.

Em função das medidas de segurança determinadas para prevenção à pandemia do coronavírus a família preferiu não realizar o velório em sua forma tradicional, de modo a evitar possível aglomeração, todavia mereceu destaque a homenagem prestada pela Brigada Militar e a participação de familiares e amigos que acompanharam o cortejo de carro.

A família também manifestou sua gratidão pelas inúmeras mensagens recebidas nestes dias que evidenciaram o carinho que todos tinham por seu Aladir.