Camaquã ganhará delegacia especializada em crimes rurais

O Rio Grande do Sul passará a contar com as Delegacias de Polícia Especializadas na Repressão aos Crimes Rurais e de Abigeato (DECRABs). O decreto, assinado pelo governador José Ivo Sartori cria as unidades, que terão como sedes principais os municípios de Bagé, Camaquã e Santiago e sedes complementares em Cruz Alta e Rosário do Sul.

Com esta ação, o governo do Estado visa atender uma das principais demandas do setor produtivo gaúcho. “Desde o início atuamos com uma atenção especial para o campo. Já desenvolvemos ações integradas específicas na região de fronteira. Intensificamos o trabalho com as forças-tarefas das polícias. Agora, iremos avançar ainda mais”, garantiu o governador José Ivo Sartori.

A escolha das sedes partiu de uma decisão técnica da chefia da Polícia Civil. As delegacias ficarão subordinadas ao Departamento de Polícia do Interior (DPI) e atuarão, também, a partir da utilização de bases itinerantes nas operações realizadas em todo o Estado.

As unidades irão exercer as atividades de polícia judiciária ligadas aos crimes de abigeato e demais crimes patrimoniais relacionados à atividade rural, especialmente os que tenham por objeto material insumos, defensivos e maquinários agrícolas. “Segurança não é só para quem vive na cidade. É, também, para quem vive no interior. O abigeato e os demais crimes típicos do campo afetam diretamente todo o setor primário”, salientou o secretário da Segurança Pública, Cezar Schirmer.

Em 2017, os casos de abigeato registram queda de 23,5%. Foram 5.171 ocorrências no primeiro semestre de 2016 e 3.958 no mesmo período, este ano. A expectativa da SSP é intensificar ainda mais os trabalhos. “O aporte dos novos servidores permitiu que tirássemos essa iniciativa do papel. As delegacias se somarão aos outros esforços já desenvolvidos pela PC e às patrulhas rurais da Brigada Militar, atuando de forma sistêmica e muito mais abrangente”, acrescentou Schirmer.

Segundo o chefe da PC, delegado Emerson Wendt, entre a criação das delegacias e a sua instalação, haverá um período de estruturação. O trabalho será articulado com as entidades e interessados do meio rural (sindicatos, federações e associações de produtores), no mesmo modelo da Delegacia de Repressão aos Crimes contra Concessionárias de Serviços Delegados, do Departamento Estadual de Investigações Criminais (DEIC). “O que pretendemos fazer com interlocução com as entidades do setor primário. Nesse meio tempo segue a atuação da FT do Abigeato”, assegurou.

Fonte: Claiton Silva/SSP

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Fechar

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios