Uma ideia que surgiu em outubro de 2020, e que já está em fase de finalização, uma proposta pioneira e transformadora que abrirá inúmeras portas, principalmente para o setor da Agricultura Familiar. A Casa do Mel, da família Darski, com nome, sobrenome e rótulo próprio: Apiário Família Darski, é o projeto que dará início a implantação do Sistema de Inspeção Municipal – SIM.

Para conhecer mais sobre o projeto e a trajetória da Dona Vânia e Carlos Darski, a Emater que atua como parceira da Secretaria de Agricultura, através da extensionista rural, Fernanda Corrêa, que, realiza periodicamente visitas de acompanhamento ao projeto e produtores esteve no local na última quinta-feira (13) para mostrar e contar um pouco mais do desenvolvimento deste projeto, que será a primeira Agroindústria de origem animal em pleno funcionamento no município, com previsão de inauguração ainda para o 1º semestre de 2021.

Dedicação, foco e objetivo ficam claros em todas as falas da Dona Vânia, tanto ela como o marido são parte de todo o processo, desde o princípio, na ocasião, estavam finalizando os últimos detalhes da infraestrutura, “de pedreiros” como ressaltou dona Vânia.

A escolha pelo mel, segundo ela, teve o fomento da Emater e da Secretaria da Agricultura, que identificaram a potencialidade de produção, tanto pela organização e diversificação da produção na propriedade, como pelos perfis e vivências da família que aceitou o desafio de ser protagonista nesta empreitada, projetada para processar não só o Mel do Apiário Família Darski, como também realizar o processamento e embalagem para outros produtores, em um futuro próximo.

O projeto de infraestrutura é padronizado de acordo com as exigências legais, compreende salas para expedição, recepção dos favos, processamento, embalagem, escritório, sanitário e área de passagem, além dos equipamentos necessários para a produção do mel. Infraestrutura construída visando expansão da comercialização dos produtos de forma estadual, pelos padrões do SUSAF, órgão que delibera para todo Estado, assim como o SIM delibera para o município.

Uma produção que leva de três a quatro dias, e necessita de dedicação exclusiva com as abelhas, além do mel silvestre e eucalipto, a família pretende trabalhar com derivados do mel. Dona Vânia explica o mel do Rio Grande do Sul é reconhecido por sua qualidade porque as abelhas produzem de forma orgânica, não são tratadas, o que exige uma dedicação diária de cuidados, porém agrega em qualidade ao produto.

“Nosso mel é puro, vamos oferecer um produto que as pessoas tenham confiança no que vão consumir. Já sonho também com um laboratório onde possa manipular os compostos, terminei um curso agora sobre apicultura pelos compostos e já quero fazer outro curso” ressaltou com entusiasmo.

A administração através da Secretaria de Agricultura com a parceria da Emater é uma grande incentivadora e vem acompanhando através dos técnicos, todo o desenvolvimento do projeto que, além ser a 1ª Agroindústria do município, irá trazer inúmeros benefícios e oportunidades para produção marianense.

O prefeito Renato Gonczorski em nome da administração municipal, parabeniza a família Darski pelo investimento e pela produção de qualidade que em breve estará ao alcance de todos os marianenses.

Informações: Ascom Prefeitura Municipal