Um casal homossexual, que preferiu não ser identificado, procurou o jornal Regional e Portal ClicR nesta segunda-feira (25/01) para denunciar uma prática criminosa de estelionato que, segundo eles, vem ocorrendo na região Costa Doce.

O par revela que foi vítima de estelionato e chantagem e afirma que existem mais pessoas lesadas pelos criminosos, mas acredita que estas não tenham feito denúncias por medo ou vergonha de expor seus relacionamentos pessoais.

A denúncia fica ainda mais grave quando os relatores afirmam que haja menores de idade entre as vítimas.

“Nos últimos três anos há ao menos quatro casos conhecidos de estelionato do gênero e tentativa de abuso de menores das famílias das vítimas”, revelou um dos denunciantes que reside em Barra do Ribeiro.

A informação é de que os criminosos agem pesquisando nas redes sociais da internet por casais que se encaixem no perfil adequado para o golpe, incluindo os que tenham relacionamentos abertos, os instáveis ou em crise, e que possuam boas condições financeiras. Eles também buscam se aproximar das vítimas por aplicativos de encontro visando estabelecer uma relação íntima.

“Ele inicia uma história de que está separado por traição ou alguma outra que coincida com a situação emocional da vítima para estabelecer uma condição psicológica favorável de aproximação e sedução. Chega a propor relacionamento e conquistas futuras juntos”, conta uma das vítimas dos golpistas.

Os relatos dão conta de que o golpe pode levar meses para ser concluído até que os criminosos consigam as informações necessárias incluindo acesso à cartões de crédito e senhas bancárias. Os golpes, segundo as vítimas, já resultaram e grandes empréstimos, compra de terreno, casa, veículo, entre outras coisas.

“No nosso caso o dinheiro foi usado para a compra de peças e equipamentos para caminhões”, lamentou o casal. Ainda segundo as pessoas que foram vítimas, os estelionatários mantêm discrição em suas próprias redes sociais, para supostamente não serem identificados devido a ostentação.

Outro casal, que reside em Tapes, também relatou ter sido vítima deste mesmo tipo de golpe que teria sido aplicado por dois homens. As vítimas detalharam inclusive características dos estelionatários.

“Um dos criminosos atua no transporte de cargas e o outro na iniciativa privada no ramo de fábrica e vendas. Um deles tem uma tatuagem no braço e o outro é calvo. Ambos têm entre 25 e 35 anos”, detalhou uma das vítimas.

Os denunciantes esperam que com a divulgação das denúncias outras pessoas que tenham sido vítimas se sintam encorajadas a fazer o mesmo para coibir a prática criminosa. Eles afirmam que vão procurar a polícia nos próximos dias para registrar a ocorrência e pedir a abertura de inquérito que apure as denúncias e puna os criminosos.