Cerca de um terço do valor reservado a Eletrobras voltará ao FGTS

Devolução ocorre porque demanda total superou R$ 6 bilhões

Os trabalhadores que reservaram parte do saldo das contas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) para comprarem ações da Eletrobras terão cerca de um terço do valor devolvido às contas do fundo. Segundo o prospecto definitivo da oferta pública de ações, divulgado hoje (10) pela companhia elétrica, 66,79% do valor reservado em cada conta será usado para adquirir ações da empesa.

Os 33,21% restantes voltarão para a conta do FGTS, sem prejuízo para o trabalhador, e continuarão a ser remunerados pelo rendimento tradicional do Fundo de Garantia: 3% mais a Taxa Referencial a cada ano. A devolução parcial ocorreu porque a demanda dos trabalhadores superou o teto de R$ 6 bilhões alocados pela Eletrobras para a reserva de ações.

A demanda total ficou entre R$ 8,8 bilhões e R$ 9 bilhões. Pelo prospecto da oferta de ações, nesse caso, parte do valor reservado seria devolvida para garantir que todos os trabalhadores que participaram da oferta pública conseguissem ser donos de ações da Eletrobras.

Com a devolução parcial, quem reservou R$ 200, a quantia mínima, converteu R$ 133,58 em ações da Eletrobras. Quem reservou R$ 10 mil, teve R$ 6,679 convertidos. Quem destinou R$ 50 mil, teve R$ 33.395 efetivamente aplicados.

Liquidação

Segundo a Caixa Econômica Federal, a liquidação da oferta ocorrerá na próxima terça-feira (14), quando os valores aplicados efetivamente sairão da conta do FGTS. No entanto, a quantia usada para a compra de ações já aparece no extrato disponível no aplicativo FGTS. Basta abrir o programa e clicar em “Meu FGTS”, que os valores aparecem como saques para o Fundo Mútuo de Privatização da Eletrobras (FMP-Eletrobras).

O processo de reserva começou na última sexta-feira (3) e acabou às 12h de quarta-feira (8). O preço unitário da ação ordinária foi fixado em R$ 42.

Tecnicamente, o recurso reservado nunca saiu da conta do trabalhador e continuou a ser remunerado nos dias em que ocorreram a reserva. Quem tiver dúvida pode acessar os canais oficiais da Caixa, como os telefones 4004-0104 (capitais e regiões metropolitanas) e 0800-104-0104 (demais regiões).

Próximos passos

Segundo comunicado publicado hoje (10) na página da Comissão de Valores Mobiliários (CVM), o processo de privatização da Eletrobras movimentou, até agora, R$ 29,29 bilhões. Além dos R$ 6 bilhões dos trabalhadores que aplicaram com o FGTS, participam do processo de capitalização da companhia fundos de pensão, investidores de varejo, investidores estatais e fundos de hedge (fundos que buscam proteção).

Segundo a própria Eletrobras, até 11 de julho será oferecido um novo lote de até 104,6 milhões de ações, que correspondem a 15% do total de papéis ofertados ao mercado. Essa operação, que marcará o fim do processo de privatização, deverá movimentar mais R$ 4,39 bilhões, mas o valor final dependerá da demanda dos investidores.

O processo de privatização da Eletrobras ocorre por meio de ofertas de ações que diluem a participação do governo na companhia. Ao fim do processo, a participação do governo deve cair de 72% para 45%. Em abril, o Tribunal de Contas da União (TCU) exigiu um preço mínimo de preço das ações para consumar a privatização, mas o valor é mantido em sigilo por envolver negociações no mercado financeiro.

*Com informações de Agência Brasil

POLÍCIA

Polícia Civil abre inquérito para apurar assalto a taxista em Camaquã

A Polícia Civil de Camaquã instaurou um inquérito para apurar o assalto ocorrido em Camaquã na manhã de ontem (26). Na ocasião, um taxista...

Dupla é detida suspeita de assaltar taxista em Camaquã

Um taxista foi assaltado na manhã de domingo (26) em Camaquã. O crime aconteceu aproximadamente às 11h, no Complexo Esportivo Rui Castro Neto —...

Mulher foi presa transportando crack junto com a filha de 12 anos

Na noite desta sexta-feira, 24, a Polícia Rodoviária Federal prendeu três pessoas que transportavam uma carga de crack escondida em uma mochila. A ação...