Após um péssimo começo de Brasileirão, acumulando sete partidas e apenas 2 pontos, o Grêmio optou pela saída do técnico Tiago Nunes. A decisão foi tomada em comum acordo, na 9ª rodada do Brasileirão realizada neste domingo, quando o Tricolor perdeu em casa para o Atlético-GO.

Agora, o Tricolor precisará ir ao mercado em busca de um novo treinador para o restante da temporada de 2021.

1º Felipão

Experiente treinador já acumula três passagens pelo Tricolor (Foto: Lucas Uebel/Grêmio/Divulgação)

Com Luiz Felipe Scolari, a aposta seria na identificação com o clube. Ele já teve três passagens como treinador do Grêmio — na segunda, a mais vitoriosa, conquistou a Libertadores de 1995 e o Brasileirão de 1996, entre outros títulos. Mais recentemente, voltou ao clube entre 2014 e 2015, mas teve um rendimento discreto. Chegou a trabalhar sob a presidência de Romildo Bolzan neste período. Recentemente, teve trabalhos no Palmeiras, por quem foi campeão do Brasileirão de 2018, e Cruzeiro, a quem não conseguiu ajudar na campanha da Série B em 2020.

2º Vanderlei Luxemburgo

Luxa esteve a frente em 2012 e 2013 no Grêmio

Luxa é mais um profissional que já passou pelo Grêmio. Foi o treinador do time entre 2012 e 2013 — teve sua renovação pedida pela torcida entre uma temporada e outra, mas não manteve o sucesso. Com larga experiência, inclusive com passagens pela Seleção e pelo Real Madrid, tem feito trabalhos contestáveis nos últimos tempos, mas seria uma voz forte no vestiário. O último emprego foi no Vasco, na parte final da temporada 2020 — já nos primeiros meses de 2021 —, sem conseguir evitar o rebaixamento.

3º Mano Menezes

Mano Menezes esteve a frente do Grêmio como técnico em três anos e seu nome não é descartado para reassumir o comando do Grêmio

Formado no Rio Grande do Sul e com destaque no Grêmio nas temporadas de 2005, 2006 e 2007, quando chegou à final da Libertadores, o técnico agora está no Al-Nassr, da Arábia Saudita, depois de um último trabalho no Brasil no Bahia.

Além do Tricolor, Mano também treinou com destaque o Corinthians, por quem conquistou a Série B e a Copa do Brasil de 2009, e o Cruzeiro, onde venceu duas Copas do Brasil (2017 e 2018). Na Seleção Brasileira, não conseguiu repetir o bom desempenho.

Tem um modelo de jogo que pode o ajudar a diminuir a pressão que o Grêmio vem sofrendo nas últimas partidas.

4º Lisca

Lisca já passou pela categoria de base do Grêmio em 2005

Apesar da ligação com o Inter, de quem foi treinador em 2016 — e por quem foi cogitado novamente em 2021 —, Lisca já passou pelas categorias de base do Grêmio em 2005. Em 2018, o treinador inclusive contou que se arrependeu de ter deixado o clube e que não descartaria um retorno.

— Talvez no Grêmio eu tenha cometido um dos maiores erros da minha carreira. Quando eu firmei no clube, e fizemos uma grande Copa São Paulo, o Fluminense me convidou para ir para a base. Eu fiquei na dúvida, a minha mulher quis ir para o Rio, o salário era três vezes maior. E fui, mas me quebrei. Não recebi e, quando arrumei o time, antes de ir para um Mundialito na Arábia, eles me tiraram. Eu era líder do Carioca. Deu tudo errado, paguei para trabalhar lá. Mas um dia, quem sabe, eu vou voltar e vou poder trabalhar no Grêmio na equipe principal — afirmou, à época.

5º Arce

Arce ex jogador do Grêmio vitorioso sob comando do Felipão

O ex lateral do Grêmio Arce teve uma passagem vitoriosa como lateral-direito do Grêmio entre 1995 e 1997 — em parte, justamente sob o comando de Felipão. Treinador profissional desde 2009, acumula passagens pelos grandes e pela seleção do Paraguai. Atualmente, trabalha no Cerro Porteño. Na casamata, tem três títulos nacionais: pelo Cerro, o Clausura de 2013 e o Apertura de 2020; no Olímpia, o Clausura de 2015.