A semana anterior apresentou dias secos e ensolarados, com registro de chuvas esparsas, baixa umidade do ar e temperaturas com grande variação entre as madrugadas e as tardes. Esse cenário climático que favoreceu o avanço da colheita para 85% da área cultivada no Estado. De acordo com o Informativo Conjuntural, produzido e divulgado nesta quinta-feira (18/11) pela Gerência de Planejamento (GPL) da Emater/RS-Ascar, vinculada à Secretaria da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (Seapdr), do restante da área cultivada, 14% estão em maturação e apenas 1% ainda em enchimento de grãos.

Na região da Emater/RS-Ascar de Bagé, o período seco e ventoso foi favorável à perda de umidade dos grãos e para a colheita da aveia branca na Campanha, que ultrapassa 20% da área cultivada. Produtores priorizam o plantio da soja em detrimento da colheita das lavouras de aveia maduras (cerca de 40% da área), considerando que as perdas pelo atraso são pouco expressivas, comparadas com os prejuízos ao potencial produtivo da soja, quando implantada após a segunda quinzena de novembro. Na Fronteira Oeste, a colheita foi encerrada.

Na regional da Emater/RS-Ascar de Santa Rosa, Frederico Westphalen, Soledade e Santa Maria, a colheita da canola está encerrada. Na de Santa Rosa houve redução de 19% no rendimento médio esperado, finalizando em 1.319 quilos por hectare. O seguro agrícola teve 61 comunicações de Proagro enviadas aos bancos para que os técnicos da Emater/RS-Ascar realizassem perícias. Na região de Frederico Westphalen, a produtividade chegou a 1.200 quilos por hectare, nos 2.700 hectares cultivados na safra. Na de Soledade, o rendimento médio nos 441 hectares cultivados totalizou em 1.300 quilos por hectare. Na região de Santa Maria, o rendimento foi de 1.900 quilos por hectare, na área de cultivo de 5.340 hectares.

Nas regiões administrativas da Emater/RS-Ascar de Ijuí, Caxias do Sul, Erechim, Soledade e Frederico Westphalen, a colheita da cevada está tecnicamente encerrada. A cevada teve um bom desempenho na corrente safra, com rendimentos que variaram entre 2.700 a 3.300 quilos por hectare e alcançaram as especificações da indústria cervejeira. Nas áreas que tiveram a qualidade dos grãos afetadas pela intensidade das chuvas no final de setembro e início de outubro, a destinação foi para ração animal.

POR TALINE SCHNEIDER/ASCOM EMATER/RS-ASCAR