Não é só no inverno que devemos ter cuidados especiais com os nossos animais, no verão, assim como os humanos, os pets também sofrem com o calor, principalmente os de focinho curto, como buldogues e pugs, e os gordos, que têm mais calor do que os magros.

Ao contrário dos humanos, cachorros não transpiram pela pele, mas sim pelo coxim, aquela almofadinha da pata, pelo focinho e pela boca, por isso o cão coloca a língua para fora. Quando o focinho é curto, não há extensão suficiente para fazer a troca térmica.

Alguns cuidados são necessários para o bem-estar do seu pet, confira as dicas para o bem estar do seu pet:

Jamais deixe seu pet dentro do carro

É muito comum sair para dar uma volta de carro com o cachorro, principalmente no verão, porém caso tenha a necessidade de sair do carro por um momento, jamais deixe seu cão trancado dentro do veículo. No verão, as temperaturas aumentam tanto que em poucos minutos o seu animal pode sofrer uma insolação, nos casos das raças como o bulldog e pug, que têm dificuldades respiratórias, poucos minutos nestas condições podem conduzi-los à morte.

Sempre forneça água para o seu cão

Se sair para passear, você deve ajudá-lo a aumentar a ingestão de água. Durante esta época, devido ao calor e ao esforço físico sob temperaturas elevadas, é mais provável que o animal se desidrate.

Hora para passear

Deve sempre proteger seu cão do sol, melhor é sair com ele nas primeiras horas da manhã e ao final da tarde, quando o sol está mais fraco, como antes das 10 horas da manhã ou depois das 16h. Deverá contar com uma sombrinha ou espaço com sombra para que se resguarde e não o faça caminhar demasiado.

Cuidados com parasitas

Micoses, piolhos, sarnas e parasitas de pele são mais comuns no verão. Para evitar que o animal contraia alguma dessas enfermidades, recomenda-se evitar levar o cão a locais muito frequentados por outros animais, aplicar remédios antipulgas e procurar um veterinário se perceber sinais como vômito ou diarreia.

Local onde dormem

Quando cachorros e gatos percebem que o local onde dormem é quente demais, eles próprios buscam lugares mais frescos, como o mármore da cozinha. Às vezes, porém, a área de circulação deles é restrita a uma parte da casa, de modo que eles não têm a possibilidade de escolha. É papel dos donos verificar se o ambiente em que seus animais de estimação dormem recebe muita luz durante o dia, o que aumenta a temperatura mesmo durante a noite e se é ventilado. Se necessário, o dono deve trocar o local da caminha.

Cuidado com insolação

Se observar que o seu cachorro parece exausto, apático, puxando a língua para fora constantemente, se está tonto, vomita ou se cai para o chão, é importante ajudá-lo imediatamente diminuindo a temperatura do seu corpo, pois possivelmente está sendo vítima de uma insolação. Leve o cão para a sombra e aplique água fresca abundante, na sua cabeça, pescoço e torso. Deixe-o beber água e não pare de lhe refrescar todo o seu corpo. Uma vez que a situação esteja um pouco mais controlada, leve o animal a um médico veterinário para um exame completo.

 

Informações: Calbos Saúde Animal Edição / ClicR