De acordo com matéria publicada no site Agência Brasil o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, assinou, na terça-feira (20) ,um protocolo de intenções para adquirir 46 milhões de doses da vacina CoronaVac, que está sendo desenvolvida pela farmacêutica chinesa Sinovac em parceria com o Instituto Butantan.

O texto diz que segundo o Ministério da Saúde, esta ação é mais um passo na estratégia de ampliar a oferta de vacinação para os brasileiros. O ministério já tinha acordo com a AstraZeneca/Oxford, que previa 100 milhões de doses da vacina, e outro acordo com a iniciativa Covax, da Organização Mundial da Saúde, com mais 40 milhões de doses.

Já o site do jornal O Globo trouxe nova informação na manhã desta quarta-feira (21) de que o presidente Jair Bolsonaro afirmou em uma rede social que o governo brasileiro não fará a compra pretendida pelo ministro.

A afirmação do presidente da República teria sido em resposta a um internauta que reclamou da “interferência da ditadura chinesa” e pediu que a compra não se efetivasse, ao que Bolsonaro respondeu em letras garrafais “NÃO SERÁ COMPRADA”.

De acordo com Pazuello, as doses seriam distribuídas em todo o Brasil por meio do Programa Nacional de Imunizações (PNI).