Professor Álvaro Werlang (segundo da esquerda p/ direita) considerou produtivo o seminário pela boa participação dos Comudes

Um grupo de representantes do Corede Centro Sul, incluindo o presidente, professor Álvaro Werlang, esteve na capital gaúcha, nesta quarta-feira, 22 de agosto, participando do seminário “O Futuro do Rio Grande do Sul: do município à região e ao Governo do Estado”, promovido pelo Fórum dos Coredes RS, no teatro Dante Barone, na Assembleia Legislativa Gaúcha.
A abertura do evento foi conduzida pela presidente do Fórum Estadual dos Coredes, Munira Awad, que destacou a união de esforços de todos os Comudes e Coredes do estado, com o engajamento das mais diversas forças vivas das comunidades, para a construção do planejamento estratégico de cada região, a partir do diagnóstico popular e do estudo de demanda que apontaram as ações de governo necessárias para alavancar o desenvolvimento regional.
“É um planejamento construído ao longo de anos, com investimento financeiro e muito trabalho, e não para ficar guardado em gavetas, mas sim para nortear os projetos de governo. Aliás, o próximo governador do Estado não precisaria construir Plano de Governo, bastaria seguir o que já está pronto”, considerou Munira.

Integrantes dos 28 Coredes do Estado, prefeitos e vereadores fizeram parte do público.

O evento seguiu pela manhã com o encontro dos Conselhos Municipais de Desenvolvimento (Comudes) e apresentação do painel “Os Comudes como protagonistas do Desenvolvimento local e regional”, tendo como painelistas o presidente da Famurs e prefeito de Garibaldi, Antonio Cettolin e o professor da Unisc, João Pedro Schmidt, que é doutor em Ciência Política pela Urfgs, com estudos de pós-doutoramento na Washington DC, nos Estados Unidos e possui larga experiência em Políticas Públicas, atuando principalmente nos temas relacionados a comunidade, comunitarismo, instituições comunitárias, terceiro setor e políticas públicas de inclusão. O painel foi mediado pela secretária do Fórum dos Coredes, Cíntia Agostini.

Cettolin apresentou experiência positiva
Para ilustrar sua fala Cettolin utilizou exemplos de experiências que tiveram sucesso em sua administração municipal, a partir da interferência fundamental dos Comudes na articulação de projetos que atenderam os anseios dos setores populares, empresariais e industriais do município, sem distinção partidária ou classista.
“Um planejamento construído por uma Comude formado por um grupo pluripartidário e de diversos setores da sociedade, anula as distinções e dá a legitimidade aos projetos. São esses paradigmas que devem ser quebrados”, concluiu Cetttolin.

Segundo painelista destacou a importância da cooperação
O professor da Unisc, João Pedro Schmidt iniciou sua fala destacando sua origem rural e humilde, em uma pequena comunidade de Santa Cruz do Sul, de onde trouxe a lembrança da mãe repetindo, em alemão, que é preciso valorizar a comunidade e cooperar com o local onde se mora.
Disse que da experiência dos estudos identificou que o individualismo corrói a capacidade de desenvolvimento, por conta da competição, muitas vezes insana e sem sentido, mesmo de forma involuntária, mas que destrói os laços sociais de confiança.
“Nós, humanos, somos a espécie dominante pela capacidade de cooperar em larga escala, não pela inteligência”, citou.
Destacou que a política é um campo de batalha de ideias e de defesa de interesses que precisa ser melhor conduzida.
“Na vida partidária o tempo que se perde com picuinhas é impressionante. O esforço dos dirigentes partidários de situação e oposição, e dos Comudes e Coredes, tem que ser no sentido de abraçar causas maiores, mesmo que isto por vezes seja bom pro líder do partido adversário. Que se dane! Nós não podemos ficar preso a este tipo de limitação. Temos que ser capazes de cooperar apesar das nossas diferenças”, acrescentou.
Schmidt destacou também que nenhum problema social pode ser resolvido apenas pela sociedade ou somente pelo Estado, mas pelos dois juntos.
“O debate de esquerda e direita precisa avançar no sentido de perceber que o problema não está especialmente no Estado ou no mercado, está na ausência de um terceiro ator junto com esses dois, que é a sociedade civil organizada”, reiterou.

Werlang destaca o papel dos Comudes
Para o presidente do Corede Centro Sul, Álvaro Werlang, o encontro resultou como positivo pela forte aderência dos Comudes, que têm ampliado suas ações, após participarem na formação do Projeto Estratégico Regional com projeção até 2030.
“Os Comudes serão os articuladores das políticas de base local e microrregional, bem como da legislação, em diversos municípios onde atuam de modo consultivo. As experiências apresentadas, como esta de Garibaldi, demonstram a integração da área pública com o conselho municipal” exemplificou Werlang.

Painel com os candidatos
Na segunda parte do evento, durante a tarde, foi promovido um painel com candidatos ao governo do estado que responderam perguntas em que manifestaram suas percepções sobre o desenvolvimento regional, a importância dos Coredes e Comudes, do planejamento estratégico como ações de governo e suas formas de implantação.
Confira na próxima matéria.