De acordo com o mapa de Distanciamento Controlado divulgado pela Secretaria Estadual de Saúde do Rio Grande do Sul, no final da tarde deste sábado, a região Centro Sul passou a categoria de bandeira vermelha.

A determinação leva em conta a ocupação dos leitos de UTI da região metropolitana que aumentou significativamente e comprometeu os índices.

Com a bandeira vermelha o comércio deverá ter sérias restrições de funcionamento, de acordo com as normas do sistema. Deverão permanecer em atividade apenas os considerados essenciais e ainda assim com limitações de clientes e colaboradores a 50% da capacidade. Estabelecimentos como lojas de vestuário, salões de beleza e academias, por exemplo, deixarão de funcionar.

Os prefeitos da região têm até a segunda-feira, 22 de junho, para apresentarem um contraponto e tentar reverter a determinação e o que for decidido passará a vigorar na terça-feira (23).

O prefeito de Tapes e presidente do Consórcio Intermunicipal Centro Sul, Silvio Rafaeli disse ao Portal ClicR, no início da noite deste sábado (20) que já entrou em contato com alguns prefeitos e está tentando agendar um encontro virtual para o final de semana para discutir o assunto e tentar construir uma alternativa.

Entre as possibilidades seria dividir a região transferindo a referência de alguns municípios como Camaquã, Dom Feliciano, Arambaré e Cristal, por exemplo, para a cidade de Pelotas onde a oferta de leitos de UTI é maior. A alteração nos números poderia interferir nos índices e permitir o retorno a bandeira laranja.

Mais informações sobre o distanciamento controlado podem ser acessadas no site https://distanciamentocontrolado.rs.gov.br/