Uma das maiores críticas ao filme ‘De Volta para o Futuro‘ é justamente a viagem no tempo do primeiro filme e a relação entre Marty McFly (Michael J. Fox) e seus pais.

Isso porque Marty foi o responsável pela união entre George (Crispin Glover) e Lorraine (Lea Thompson), mas o casal nunca menciona a semelhança entre o jovem que os juntou e seu próprio filho.

Inclusive o diretor James Gunn (‘Guardiões da Galáxia‘) “criticou” a história por conta desse ‘furo no roteiro’.

Para o roteirista os pais de Marty deveriam se lembrar dele por unir os dois

Gunn foi irônico ao dizer:

“‘De Volta para o Futuro’ parece uma história imperfeita (por que os pais de Marty não se lembram dele?), Mas eu ainda diria que é um filme perfeito, porque há razões que tornam tudo isso aceitável. Ou talvez eu esteja em negação. Quem sabe?”

No entanto, o roteirista Bob Gale conversou com o The Hollywood Reporter e decidiu encerrar a discussão de uma vez por todas, dizendo:

“Lembre-se de que George e Lorraine só conheceram Marty/Calvin por oito dias quando tinham 17 anos e nem o viram durante todos esses oito dias. Então, muitos anos depois, eles poderiam se lembrar daquele garoto interessante que os reuniu no primeiro encontro. Mas é algo engraçado, eu desafio qualquer um a se lembrar perfeitamente de alguém que conheceram por uma semana na época da escola.”

Gale fez questão de deixar claro que George e Lorraine ainda se lembram daquele garoto chamado Calvin Klein, mas argumentou que o tempo corrompe as lembranças:

“Se você não tiver fotografias como referência, fica difícil se lembrar depois de 25 anos, você provavelmente teria apenas uma vaga lembrança.”

 

Ele continuou:

“Sinto que eles apenas acham curioso e engraçado o fato de seu filho ser parecido com o jovem que eles conheceram e isso não seria um problema. Caso encerrado, doc.”