Dia Internacional da Cerveja: mitos e verdades sobre a bebida

Toda primeira sexta-feira de agosto o mundo brinda diferente. É quando comemora-se o Dia Internacional da Cerveja e a data, que nasceu em 2007 na Califórnia, merece uma saudação especial só para ela.

Entre um brinde e outro, confira esta matéria especial sobre a sua história no Brasil, a chegada ao nosso país, o nascimento das grandes marcas, o surgimento das cervejas artesanais, o brinde típico na mesa de bar que sela o final de expediente.

Depois, vale conhecer mais algumas curiosidades sobre a bebida. Não é novidade para ninguém que o consumo de bebidas alcóolicas aumentou durante o último ano devido ao isolamento social. Só no Brasil, segundo a Associação Brasileira da Industria da Cerveja, foram produzidos 14,05 bilhões de litros da bebida em 2020, sendo o terceiro maior produtor mundial – perdendo apenas para China e Estados Unidos. O crescimento foi de 4% em relação a 2019 – ano pré-pandemia.

O aumento do interesse pela bebida também se reflete nos clubes de assinatura de cerveja. O Clube do Malte, um dos maiores do mundo, viu a adesão aumentar em 20% no último ano. Suas vendas avulsas, para consumo nas residências, também aumentaram bastante nesse período: 60%. Criado há 10 anos em Curitiba por Douglas Salvador, inicialmente como um bar, o Clube opera, hoje, 100% na comercialização online de rótulos cervejeiros do mundo inteiro e na assinatura de cervejas. Uma equipe, formada principalmente por mulheres, está de prontidão para atender os clientes; já a porcentagem de assinantes do gênero feminino é de 12%, mas vem crescendo a cada ano.

O fato é que dúvidas e mitos sobre o universo cervejeiro são frequentes nos consumidores. Por isso,  Edu Passareli,  sommelier e professor do Instituto da Cerveja, vai desmitificar alguns itens e tirar dúvidas sobre esse bebida tão refrescante e querida por todos os brasileiros. Confira a seguir.

Colarinho no chopp é importante

Verdade. Ele vai evitar oxidação, pois tem uma barreira maior para impedir que o líquido entre em contato com o oxigênio. Além disso, ajuda a manter o gás da bebida e a temperatura. Dois dedos de colarinho são suficientes.

Cerveja em lata é pior do que cerveja em garrafa.

Mito. Hoje a indústria da embalagem de latas é muito moderna. As feitas com verniz são muito eficientes e não passam nenhum sabor para cerveja. A lata, em vários casos, é até melhor que a garrafa. Ela bloqueia totalmente a luz – uma grande inimiga da cerveja – e impede a troca de gases com o ambiente.

Existem copos adequados para diferentes tipos de cerveja.

Verdade. Em linhas gerais, para cervejas com menos intensidade de sabor, são usados copos estreitos e mais finos. Quando temos cervejas mais potentes, sabores e aromas para serem explorados, os copos com bocas mais largas são os indicados.

Cerveja faz mal pra saúde

Mito. Pelo contrário. Quando consumida sem excessos traz uma série de benefícios à saúde. Ela é muito rica em polifenóis, que vão exercer uma atividade antioxidante para o nosso organismo.

Cerveja “puro malte” é melhor

Mito. Não necessariamente. Cervejas, quando têm receitas feitas para agradar o paladar, vão ser boas independentemente de não serem puro malte. Na Bélgica, por exemplo, muitas delas não são puro malte e são incríveis.

Limpeza do copo é fundamental para degustação de cerveja

Verdade. Um copo sujo diminui a formação de espuma. Além disso, pode trazer odores desagradáveis. Quem nunca teve uma experiência ruim com um copo cheirando a ovo? O serviço é muito importante para que a degustação seja prazerosa.

Cerveja deitada gela mais rápido

Mito. Inclusive, deixá-la deitada aumenta a superfície de contato do líquido com o ar dentro da garrafa. Não é recomendado. Então: sempre de pé.

Cerveja precisa ser servida estupidamente gelada.

Depende. Cervejas de estilos como os das marcas Brahma, Skol, Heineken são feitas para serem consumidas muito geladas. O frio, porém, é inimigo das nossas papilas gustativas. Então, se você comprar uma cerveja que tem bastante complexidade e a bebe muito gelada, você não vai perceber isso. Está jogando seu dinheiro fora.

É impossível quantificar os tipos e rótulos de cervejas existentes pelo mundo
Verdade. Temos um crescimento muito grande das cervejarias ciganas, o que fez surgir uma quantidade incrível de rótulos pelo mundo. O que podemos falar é que, hoje, no Brasil, há cerca de mil cervejarias em atividade. Mas rótulos e tipos não temos como quantificar. A cerveja permite essa criatividade e, de forma cada vez mais rápida, surgem novas composições.

Fonte CNN Brasil

Redação CLICR
Serviços gerais

ÚLTIMAS

Inscrições para recenseador temporário no RS se encerram nesta sexta (21)

No Rio Grande do Sul, o cargo de recenseador temporário do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) para o Censo 2022 tem 11.232...

Motociclista é preso após atropelar Policial Rodoviário Federal

Na manhã desta quarta-feira (19), a Polícia Rodoviária Federal prendeu um motociclista que pilotava embriagado na BR 470 em Bento Gonçalves. Ele desobedeceu à...

Polícia “estoura” ponto de tráfico de drogas em Barra do Ribeiro

A Polícia Civil, através da Delegacia de Barra do Ribeiro “estourou” um ponto de tráfico de entorpecentes na cidade que era utilizado por um...