Embora já houvesse divulgado anteriormente o nome do vereador Eduardo Silva como pré-candidato ao Executivo municipal, o Partido dos Trabalhadores (PT) em Arambaré decidiu por não disputar mais a vaga de prefeito nas eleições municipais de 2020.

As negociações que apontavam um alinhamento com o PDT não evoluíram e partido decidiu que deverá apresentar nominata para concorrer às vagas do Legislativo.

Confira a entrevista com o vereador Eduardo Silva

Regional: Por que PT retirou a sua pré-candidatura a majoritária?

Eduardo: Nossa pré-candidatura sempre esteve ligada a um projeto coletivo. Na busca de um alinhamento que além de Arambaré, fortalecesse um projeto mais amplo de desenvolvimento pensando a Região, Estado e País.

Nosso entendimento é que devíamos manter a aliança das últimas três eleições municipais com o PDT. Nesse sentido passamos a dialogar com os amigos Trabalhistas e o meu nome foi apresentado para uma possível candidatura à Prefeito ou a Vice junto com a Vereadora Ida Machado. Eles optaram por outro caminho o qual respeitamos, mas fez com que a gente repensasse nossa participação em 2020.

Regional: Por que não ocorreu um alinhamento com o bloco de oposição ao governo?

Eduardo: Penso que a grande dificuldade está na ida do Jardel para o PL. Um partido que em nível Nacional e Estadual defende uma política que não concordamos.

Vejamos a Política Ambiental e a Nacional de Liberação dos Agrotóxicos, a forma de enfrentamento da tragédia da Covid19, o apoio as Reformas Trabalhistas e da Previdência, sem falar na ausência de uma política social inclusiva, entre outros.

Ainda há a desastrosa política econômica que traz prejuízos aos pequenos e médios comerciantes, aos trabalhadores e ao país como um todo. Pra nós isso afeta o dia a dia das pessoas em Arambaré, o que inviabiliza uma coligação.

Regional: Embora fora das chapas pré-definidas, existe alguma orientação de apoio?

Eduardo: Enquanto Partido não vamos coligar, mas liberamos os companheiros(as) para se posicionarem de acordo com seus entendimentos. Mas penso que não há como apoiar uma candidatura ao qual se apresentou autoritária, sem nenhuma capacidade de diálogo e sem um projeto para Arambaré como da atual administração. Inclusive nosso entendimento em retirar a candidatura considerou o fato de não dividirmos a oposição.

Regional: Qual será o objetivo do PT nestas eleições?

Eduardo: Queremos fazer o bom debate! Avaliar com a comunidade os caminhos e alternativas do município. Queremos mostrar que o vereador pode ser importante na definição de rumos e no debate do Desenvolvimento de Arambaré.

Regional: Qual a bandeira que o partido vai defender na campanha?

Eduardo: Pensamos uma Arambaré com inclusão social, Trabalho e Renda, Eficiência e Valorização no Serviço Público, com Desenvolvimento Sustentável e Participação Popular.

Temos tudo para realmente transformar Arambaré na Terra do Bem Viver.

Regional: Quais as perspectivas para o pleito de 2020?

Eduardo: Queremos eleger mais vereadores. Apoiar os canais de participação da comunidade como os conselhos municipais.

Por mais que nos alinhemos enquanto bloco com demais partidos, com uma bancada conseguiremos contribuir muito mais. Se com um vereador já conseguimos apresentar um outro olhar pra comunidade, imagina com 2 ou 3.