Em solenidade de inauguração promovida no Km 340 da BR-116, na tarde desta quarta-feira, 07 de julho, autoridades do Exército Brasileiro e do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) liberaram para uso um trecho de 10 km de duplicação da rodovia que se estende da ponte sobre o Arroio Ribeiro até o Km 338, próximo ao acesso a Sertão Santana.

Entre as autoridades presentes estiveram o comandante do Exército Brasileiro, general Paulo Sérgio Nogueira de Oliveira e o diretor-geral do DNIT, general Antônio Santos Filho que falaram da importância que a duplicação representa para a região uma vez que a rodovia é o principal acesso ao Superporto de Rio Grande.

As autoridades consideram que diversos problemas incluindo a falta de recursos financeiros e erros em projetos causaram transtornos e paralizações na obra gerando um atraso de oito anos em sua execução. Outra questão apontada foi o aumento dos custos que saíram dos R$ 868,94 milhões para R$ 1,77 bilhão. Atualmente somente o lote 04 da rodovia, entre Sentinela do Sul e Camaquã, está com suas obras 100% concluídas.

Este foi o terceiro trecho entregue pelo exército desde que assumiu a execução dos 50,8 km da obra, dos lotes 01 e 02, em dezembro de 2018, somando um total de 25 km concluídos até agora.

Com a entrega de hoje (07/07), 62,25% do traçado a ser ampliado está pronto e em operação. A expectativa do Governo Federal é de que o restante seja finalizado em 2022.

O Exército prevê até o fim do ano mais duas entregas na BR-116. Em setembro, deve ser finalizado o viaduto em Barra do Ribeiro, no quilômetro 320 e, em dezembro, a tendência é de que sejam concluídas as obras no lote 2, entre os quilômetros 340 e 351.

Prestigiaram a solenidade o general José Luis Dias Freitas, comandante de operações terrestres, general Marco Antônio Amaro dos Santos, chefe do Estado Maior do Exército, general Júlio César de Arruda, chefe do departamento de engenharia e construção, general Valério Stumpf Trindade, comandante militar do Sul, general André Luis Novaes Miranda, chefe do departamento de Educação e Cultura do Exército, general divisão R1, Márcio Veloso Guimarães, antigo comandante da terceira região militar, general de brigada R1, Álvaro Nereu Klaus Calazans, coronel Fábio Batista Bogoni, comandante do quarto grupamento de engenharia e coronel Anderson Soares do Carmo, comandante do primeiro batalhão ferroviário.