Um camaquense registrou que recebeu um convite via rede social Facebook, onde uma mulher mandou convite de amizade, e após ele adicioná-la, ela pediu o número de seu Whatsapp para conversar com o mesmo.

Segundo a vítima ele passou a conversar com a mulher, sendo que em determinado momento da conversa a moça lhe enviou fotos e vídeos dela nua. Após isso, a referida “moça” disse que o pai dela havia descobrido as tais conversas e que iria denunciar o homem.

Neste momento uma terceira pessoa, um rapaz, que se passava por Delegado de Polícia  contatou a vítima usando outro número de celular. O farsante disse iria ser processá-lo por pedofilia e que ele seria colocado como foragido. Todavia, o golpista disse que o camaquense não seria processado se pagasse a quantia de R$ 30  mil reais, que deveria ser depositada em uma determinada conta corrente.

Foi neste momento que a vítima percebeu que era golpe e resolveu não depositar o dinheiro. O camaquense procurou a Polícia Civil para denunciar o fato.