Tricolor faz seis gols no 1º tempo, sendo cinco em 10 minutos, e marca mais duas vezes na etapa final para aplicar a maior goleada de um brasileiro no torneio

Pela terceira rodada do grupo H da Sul-Americana, o Grêmio, embalado por duas vitórias na competição, recebeu o Aragua, que ainda não havia pontuado, e goleou os venezuelanos. Com um ataque avassalador, a equipe de Tiago Nunes fez seis gols ainda no primeiro tempo, sendo cinco gols em 10 minutos, e matou o duelo. Apesar de ter diminuído o ritmo na etapa final, o Tricolor seguiu melhor e fechou o marcador em 8 a 0, placar este que se tornou a maior goleada de um brasileiro no torneio.
O resultado deixa o Grêmio com um pé na próxima fase da Sul-Americana ao somar nove pontos em três jogos. Agora o Tricolor vai entrar em campo novamente no domingo (9), às 16h, contra o Caxias pela semifinal do Gaúchão.
Os times nem haviam se esquentado ainda quando o Aragua, com Yéguez, cometeu um erro defensivo grave ao fazer o passe fraco para o goleiro Yustiz. Luiz Fernando aproveitou e estufou as redes logo aos dois minutos.
Quatro minutos mais tarde, o Aragua quase empata. Duche lançou Garcia, que dominou no peito, chutou forte e viu a bola raspar a trave direita de Brenno. Em seguida, os venezuelanos tentaram novamente no ataque, mas o mesmo Juan Garcia tentou a bicicleta e pegou errado.
A partir dos 10 minutos, domínio total do Grêmio na posse de bola. O time de Tiago Nunes começou a trabalhar a bola de pé em pé de forma rápida e na primeira tentativa Darlan parou em Yustiz. Mas em nova jogada bem trabalhada, Luiz Fernando pegou uma sobra dentro da área e chutou forte para fazer o segundo.
O terceiro não demorou para acontecer. No ataque seguinte, Luiz Fernando é derrubado dentro da área e o árbitro marca pênalti. Aos 20 minutos, Diego Souza chutou de cavadinha e cravou a trinca na Arena do Grêmio.
Aos 21 minutos, Ferreira partiu em velocidade pela esquerda, invadiu a área e colocou com categoria na bochecha da rede esquerda. E o Grêmio aproveitou a desestabilidade do Aragua para marcar o quinto. Ferreira tabelou com Luiz Fernando e recebeu livre para só empurrar para o gol aos 23 minutos.


O Aragua ficou totalmente desnorteado na partida e o Grêmio atacava cada vez mais. A consequência? O sexto gol. Luiz Fernando cruzou rasteiro e Arquímedes Hernández cortou de carrinho para o próprio gol. Logo após o tento, o técnico Enrique Garcia tirou o amarelado lateral Yéguez e colocou o zagueiro Zapata para tentar amenizar a problemática defesa.
Na etapa final, o Grêmio diminuiu o ritmo e poupou energia. Mesmo assim seguiu melhor. Aos 16 minutos, Rafinha cortou Arquímedes dentro da área, o zagueiro deixou o braço na bola e o árbitro marcou pênalti. Maicon cobrou de forma magistral e pintou o sete em Porto Alegre.


Mesmo com o freio acionado no segundo tempo, o Grêmio não mudou a forma agressiva de jogar apesar da entrada dos reservas, e Churín provou isso. O atacante fez o oitavo após Diogo Barbosa colocar a bola na cabeça do argentino.
O Grêmio teve até diversas chances de marcar o nono, mas o placar parou mesmo no 8 a 0.

GOLS: Luiz Fernando, 2’/1ºT (1-0); Luiz Fernando, 17’/1ºT (2-0); Diego Souza, 20’/1ºT (3-0); Ferreira, 21’/1ºT (4-0); Ferreira, 23’/1ºT (5-0); Arquimedes Hernández (contra), 27’/1ºT (6-0); Maicon, 17’/2ºT (7-0); Churín, 31’/2ºT (8-0)