O prefeito Gringo, de Cerro Grande do Sul, recebeu o Portal ClicR em seu gabinete, nessa quarta-feira, 08 de setembro, quando falou sobre os mandados de busca e apreensão cumpridos pela Polícia Federal, na segunda-feira (06), na Prefeitura Municipal e em sua residência particular, em Brasino.

Prefeito Gringo – Foto: Divulgação

O administrador municipal informou que a PF procurava indícios de que ele teria tentado patrocinar as manifestações promovidas em Brasília e por todo o país, nesta terça-feira, 07 de setembro, capitaneadas pelo presidente Jair Bolsonaro contra ministros do Supremo Tribunal Federal – STF. Gringo garante que nada foi apreendido e que nenhuma irregularidade foi verificada durante as buscas.

“Isso aí foi um mandado do Alexandre de Moraes pra prender o prefeito se houvesse alguma irregularidade. Como não acharam nada, nem meu celular eles levaram. Eu mostrei pra eles mais uma vez, e pra todo mundo eu mostro, que não tenho o rabo preso com ninguém”, bradou o prefeito.

Ele ainda insistiu em dizer que não apoia nenhum tipo de manifestação e que seu compromisso é com a gestão do município. Questionado sobre o fato de ter mencionado em redes sociais de que participaria de uma cavalgada em apoio a Bolsonaro, Gringo disse que mudou de ideia e reiterou diversas vezes que é honesto.

“Eu fiquei em casa olhando televisão o tempo todo. Comigo não tem manifestação e não tem ajuda a ninguém. Meu um compromisso é com o município e vou cumprir e mostrar pra todo mundo que aqui está trabalhando um homem honesto que passou por cima do STF e não foi condenado. Eu disse que eu iria na cavalgada porque eu não sou um presidiário. Eu tenho a liberdade de andar a cavalo onde eu quiser, mas pelo mundo que nós estamos vivendo e pelas imundícies que existem nessa terra contra uma gestão pública honesta eu resolvi ficar em casa comendo pipoca e tomando chimarrão”, revelou.

Gringo garante que vem sendo atacado por opositores políticos e fez um desafio para que todos o fiscalizem, mas que as denúncias sejam feitas quando realmente houverem indícios de irregularidades.

“A prefeitura está aberta para todos os órgãos que quiserem seguir os meus passos, mas não pras pessoas sair falando as coisas sem conhecimento das atitudes que tomei. Só fazem um ‘ahaha’ e depois não provam nada”, esbravejou.

O prefeito foi mais longe quando disse que a partir dos últimos acontecimentos decidiu investigar os atos das administrações passadas e também da sua até agora.

“Agora eu quero a caixa preta aberta do passado de Cerro Grande do Sul. Se possível dos 33 anos do município. Nós já entregamos quase tudo nas mãos do Ministério Público e se faltar mais alguma coisa vai ser exposto. Vai arrebentar. Não quero nem saber. Se tiver filho meu, pai, mãe ou irmão envolvido com corrupção vai ser preso. Vou insistir com a prisão de todo mundo que tiver envolvido com irregularidade, porque corrupto tem que ser preso”, concluiu.