A realidade do futebol feminino no Brasil vem mudando e aos poucos ganhando espaço e visibilidade. A cultura, embora enraizada, de que jogar bola é coisa de menino está ficando no passado e um novo cenário vai sendo moldado a cada dia que passa.

Já há algum tempo tem sido comum encontrar em escolinhas e quadras esportivas espalhadas pela região meninas batendo bola e se divertindo. As próprias competições em níveis locais e regionais organizadas por entidades públicas, sociais ou privadas têm atendido ao apelo das gurias que não cansam em reivindicar vagas e protagonizar a conquista deste espaço no esporte.

Este novo cenário mais promissor e otimista, porém, não esconde o fato de que ainda há muito a ser feito para que o futebol feminino atinja o patamar pretendido pelas atletas e enquanto isso muitas seguem correndo em busca dos seus sonhos.

É o que está fazendo a jovem tapense Isadora Campos, de 16 anos, que sempre foi apaixonada por futebol e já mostrou que tem talento para o esporte. No domingo, 20 de junho, ela foi aprovada em um teste promovido pelo Esporte Clube Juventude, em Caxias do Sul, após uma série de avaliações e desde então passou a integrar o elenco da base do clube caxiense.

Em se tratando de oportunidades no futebol feminino no Brasil e considerando que Isadora é filha de família humilde, dá pra imaginar que a conquista da arqueira não foi uma tarefa fácil, por isso ela garante que da mesma maneira que segura firme a bola nas suas defesas em baixo das traves, pretende agarrar com as duas mãos a chance que está tendo no clube da Serra Gaúcha.

Moradora do bairro Vila Borges, a garota perdeu o pai em agosto de 2017, mesmo ano em que iniciou jogar bola na escolinha de futebol Instituto União de Tapes, perto de sua casa, onde atualmente reside com a mãe, o padrasto e uma irmã mais nova. Ainda tem outros quatro irmãos que residem na cidade de Guaíba.

Isadora Campo – Foto: Arquivo pessoal

Para conseguir viajar a Caxias do Sul e participar da “peneira” promovida pelo Juventude, tendo que custear a estadia na cidade, incluindo transporte, alimentação e alojamento, Isadora precisou contar com o apoio financeiro de amigos que inclusive promoveram campanha nas redes sociais para arrecadar o dinheiro.

Buscando inspiração em seus ídolos, os goleiros Keylor Navas, do PSG, e Manuel Neuer, capitão da seleção alemã e do Bayern de Munique, a goleira tapense revela que iniciou no futebol jogando na linha, mas que numa determinada ocasião, em uma partida amistosa que seu time disputaria faltou goleira e ela se prontificou para a vaga, quando tomou gosto pela posição e não saiu mais.

Sobre ter sido aprovada no Juventude a jovem atleta não esconde a alegria e satisfação, além de destacar todo seu esforço para conquistar o mérito.

“Tenho muita gratidão por tudo que consegui e por todos que me apoiaram. Estou feliz demais por estar vestindo a camisa deste grande clube e sempre vou honrar no nome do Juventude. Quem me acompanha sabe que treinei muito e o quanto tenho lutado para estar aqui”, destacou Isadora.

De sua nova rotina como atleta a tapense revela que a parte difícil é ficar longe da família, mas entende que é mais um sacrifício necessário.

“Tento pensar que estou aqui por eles também e por meu pai que está lá no céu me acompanhando”, destaca.

Apesar de ter no futebol seu principal objetivo neste momento a jogadora garante que não descuida dos estudos, pois entende que a formação escolar é essencial em qualquer situação, por isso também se esforça para participar das aulas neste novo modelo à distância imposto pela pandemia.

Quanto aos planos profissionais Isadora fala com os pés no chão, apesar de alimentar um sonho de todo atleta iniciante no futebol que é representar bem seu clube para poder chegar à seleção.

“Quero me tornar a melhor pra mim mesmo. Entendo que tenho capacidade, mas sei que é preciso trabalhar muito. Creio que a seleção brasileira é o sonho de toda a menina que joga futebol. Por hora quero poder fazer história com a camisa do Juventude e ir crescendo conforme a vontade de Deus”, concluiu.