Por Denise Jobim – Fisioterapeuta | CREFITO 241813 – F

A labirintite é uma doença da orelha interna que afeta o labirinto e suas estruturas responsáveis pela audição (cóclea) e pelo equilíbrio (vestíbulo) do corpo humano. Ela pode ser causada por doenças infecciosas ou inflamatórias, alterações genéticas, entre outros fatores. Os sintomas mais comuns são tonturas e vertigens.

Vertigens

A estrutura da orelha interna é semelhante a um caracol cheio de terminações nervosas que emitem ao cérebro diversas informações, inclusive sobre o equilíbrio do corpo, que é a função desempenhada pelos cristais de carbonato, também conhecidos como cristais de otólitos, que ficam imersos em um líquido chamado endolinfa.

Quando estes cristais se deslocam de onde deveriam permanecer pode ocorrer a Vertigem Posicional Paroxística Benigna (VPPB) que apesar de não ser permanente pode ser prejudicial, além de causar grande incômodo, pois apesar de curta duração geralmente tem forte intensidade e causa a sensação de que o ambiente ao redor está girando (crises de vertigem rotatória).

Porque ocorre a vertigem

Na grande maioria dos casos de VPPB não há como determinar a causa de sua ocorrência, contudo ela pode estar associada a diversos fatores como:

  • Pancada na cabeça (acidentes de carro, quedas, acidente doméstico, etc.)
  • Movimentos bruscos com a cabeça
  • Distúrbios por falta de cálcio (osteoporose)
  • Profissões anômalas de trabalho inclinado (dentista, encanador, mecânico, etc.)
  • Condições degenerativas do envelhecimento

Tratamento

Readaptação labiríntica

A readaptação labiríntica é um procedimento terapêutico e fisiológico que tem como objetivo melhorar e restaurar o distúrbio de equilíbrio corporal. Nos casos em que a reabilitação labiríntica é indicada observa-se a resolução completa dos sintomas devido aos exercícios corretos que é monitorado pelo profissional de Fisioterapia.

Manobras terapêuticas

Outras formas empregadas no tratamento das vertigens são as manobras terapêuticas, incluindo a manobra de reposicionamento de Epley ou a manobra de reposicionamento de otólitos, que como o nome sugere, consiste em movimentos sequenciais que têm como objetivo o reposicionamento dos cristais de otólitos.

Também são utilizadas medicações que podem ajudar no tratamento.