Lisiane Protzen juntamente com as soberanas participaram da missa no domingo dia 02/05 e falou do momento delicado em que todos estão passando

 

Na manhã do domingo (02/05), a servidora e presidente da Festa do Fumo Lisiane Protzen participou da missa na Igreja Católica São José em Chuvisca, juntamente com a soberanas, Rayane Tavares Buchorn, Bruna Andrieli Peter e Milene Maliszewski Okraszewsku.

Pelo segundo ano consecutivo o evento não foi realizado devido ao momento de pandemia que ainda está se vivendo.

 

Lisiane Protzen, que proferiu as seguintes palavras:

“Gostaríamos de agradecer ao espaço cedido a nós neste dia, agradecer a presença da corte da 36ª festa do fumo e demais presentes. Hoje estaria ocorrendo a tradicional festa do fumo e agrifest que pelo segundo ano consecutivo não pode ser realizada devido a pandemia, seguindo os protocolos de saúde a nível Mundial. É um momento atípico em nossas vidas e administração de Chuvisca, em respeito às famílias enlutadas e aos familiares de amigos que estão neste momento sofrendo com as enfermidades causadas pelo coronavirus acredita que este não é um momento para comemoração e sim para reflexão. Temos sim que agradecer pelo encerramento de mais uma safra de fumo e pedir que a próxima seja ainda melhor. Gostaríamos de prestar nossa solidariedade aos familiares de um dos idealizadores da festa do fumo que se encontra hospitalizado, pedindo a Deus pela sua recuperação. Muitos são os que estão sofrendo pela pandemia. Sejam por questões de saúde, perdas de entes queridos ou por questões financeiras, atingidos pela falta de emprego, por não poder trabalhar ou abrir seu comércio. Infelizmente este último ano não tem sido fácil.

E hoje estamos aqui para nos unirmos em oração pedindo que tudo isso passe logo.

Obrigado a todos pela compreensão e continuem se cuidando, fazendo cada um à sua parte, para que esse vírus não circule mais, para que nossa rotina volte ao normal.

Quem sabe em 2022 possamos estar todos reunidos festejando e comemorando a festa do fumo, todos juntos com saúde.

Portanto vamos refletir: eu estou me cuidando? Estou fazendo a minha parte? Estou evitando que o vírus circule? Ou estou apenas julgando o próximo? Não cabe a ninguém julgar e a pandemia veio para nos tornar pessoas melhores, com mais empatia, com mais amor ao próximo”.