Ministério da Saúde alerta sobre riscos da Hipertensão Arterial Sistêmica

Em 2019, 110,5 óbitos a cada 100 mil habitantes ocorreram por conta da doença

Quando o médico aferir a sua pressão arterial e disser “quatorze por nove”, é preciso acender um sinal vermelho de alerta. Nesta terça-feira (26), Dia Nacional de Prevenção e Combate à Hipertensão Arterial, o Ministério da Saúde chama a atenção para o problema que, em 2019, foi responsável por 110,5 óbitos a cada 100 mil habitantes no Brasil. A data é para conscientizar a população sobre a importância do diagnóstico preventivo e do tratamento da doença.

Dados do Ministério da Saúde apontam que em 2021 foram realizados cerca de 6,1 milhões de atendimentos a mais que em 2020. Por isso, a pasta atua com políticas, programas, estratégias, diretrizes e outros materiais técnicos como formas de promoção da saúde e prevenção, rastreamento, diagnóstico e tratamento da doença. Entre as políticas públicas voltadas para o agravo está a Linha de Cuidado voltada para a prevenção da Hipertensão Arterial Sistêmica (HAS) no Adulto.

A HAS é caracterizada pela elevação sustentada dos níveis de pressão arterial e é um dos principais fatores de risco para o desenvolvimento de doenças cardiovasculares e renais. Ela também é frequentemente associada a outras doenças crônicas e a eventos como morte súbita, acidente vascular encefálico, infarto agudo do miocárdio, insuficiência cardíaca, doença arterial periférica e doença renal crônica.

A hipertensão arterial pode ser primária, quando geneticamente determinada, ou secundária, quando decorrente de outros problemas de saúde. Por isso, é fundamental diagnosticar a origem do problema para que seja realizado o tratamento mais adequado. Dentre os sintomas mais comuns estão tontura, falta de ar, palpitações, dor de cabeça frequente e alteração na visão. Entretanto, a hipertensão geralmente é silenciosa, sendo importante aferir regularmente a pressão arterial.

As Unidades Básicas de Saúde (UBS) estão equipadas com profissionais de saúde capacitados para atender à população que deseje acompanhar o nível de pressão arterial.

O que causa a Hipertensão?

Dentre as principais causas da pressão arterial alta estão a obesidade, histórico familiar, o hábito de fumar, o consumo excessivo de bebidas alcoólicas, estresse, consumo exagerado de sal, níveis altos de colesterol e falta de atividade física. Além desses fatores de risco, sabe-se que o número de casos aumenta com o avançar da idade e são maiores entre homens com até 50 anos, entre mulheres acima de 50 anos e em diabéticos. O sobrepeso e a obesidade podem acelerar em até 10 anos o aparecimento da doença.

Como prevenir a Hipertensão?

A hipertensão, na maioria dos casos, não tem cura, mas pode ser controlada. Nem sempre o tratamento significa o uso de medicamentos. Por isso, para prevenir a hipertensão e suas complicações é necessário:

  • adotar um estilo de vida saudável;
  • mudar hábitos alimentares;
  • reduzir o consumo de sal;
  • praticar atividade física regularmente;
  • aproveitar momentos de lazer;
  • abandonar o fumo;
  • moderar o consumo de álcool;
  • evitar alimentos gordurosos;
  • controlar o diabetes.

*Com informações de Ministério da Saúde

POLÍCIA

Pai e filha são indiciados por associação criminosa armada em Tapes

Recentemente, a Delegacia de Polícia de Tapes instaurou um Inquérito Policial com o objetivo de identificar membros de uma quadrilha após inúmeros assassinatos ocorridos...

PRF prende motorista que fumava maconha enquanto dirigia

No final da manhã desta quinta-feira (19), a Polícia Rodoviária Federal prendeu um motorista que dirigia em zigue-zague. O homem, com diversas ocorrências e...

PRF prende traficantes e apreende mais de 700 kg de maconha no RS

Em três ações distintas no Rio Grande do Sul, nesta quarta-feira (18), a Polícia Rodoviária Federal (PRF) apreendeu mais de 700 kg de maconha,...