Após um ano de investigações, a Polícia Civil deflagrou nesta manhã (17), a Operação ‘’Sem Sinal’’, contra crimes patrimoniais, principalmente roubo e furto de aparelhos telefônicos celulares, na região metropolitana da capital.

As investigações da operação, tiveram início após um furto ocorrido em uma loja de eletrodomésticos e eletrônicos, localizada no município de Nova Santa Rita, no centro da cidade, em 18 de setembro do ano de 2019.
Na ocorrência, três mulheres cometeram crimes de furto no estabelecimento comercial, furtaram uma quantidade considerável de aparelhos celulares. Foram 17 aparelhos celulares de valor elevado.
O crime ocorreu com um modus operandi conhecido, o de distração e execução do crime. Enquanto uma das mulheres criminosas distraiu uma atendente da loja, as outras duas
perpetuaram o crime com muita agilidade.

No decorrer das investigações, com a realização de diversas diligências, além da análise das imagens das câmeras de segurança e com os depoimentos de testemunhas, foi possível identificar as três mulheres responsáveis pelo crime, foi verificado também que estavam diante de um esquema mais profundo possivelmente responsável por outros roubos na região metropolitana e na capital.

Trata-se de uma quadrilha especializada em furto e roubos de aparelhos celulares. As quais formam uma rede de distribuição de produtos furtados e roubados em toda região.
As autoras possuem antecedente específico pelo crime de furto e, após o crime de 2019, seguiram na atividade ilícita.

Com as diligências realizadas, o endereço em que estão os celulares foram encontrados, assim como foram identificadas as pessoas que tiveram acesso e utilizaram os objetos das ações delituosas. Ainda, foi confirmado que alguns presídios recebem esses celulares e por esse motivo a SUSEPE está apoiando a polícia civil e agindo nos presídios de forma conjunta na Operação Sem Sinal.

Estão sendo cumpridas 43 ordens judiciais, sendo 39 mandados de busca e apreensão e três mandados de prisão preventiva em 12 cidades do Estado do Rio Grande do Sul, assim como em três estabelecimentos prisionais, nas cidades de Nova Santa Rita, Canoas, Porto Alegre, Esteio, Cachoeirinha, Viamão, Sapucaia do Sul, Gravataí, Alvorada, Guaíba, São Leopoldo e Tapes.

Além dos Policiais Civis da 2ª DPRM, participam da ação Policiais Militares do 15 BPM e Agentes Prisionais da SUSEPE, totalizando 230 policiais, 55 (cinquenta e cinco) viaturas e apoio aéreo.

Até o momento são 11 presos em flagrante por receptação e porte de arma de fogo, além de celulares fruto de roubo/furto, munição, arma de fogo e dinheiro em espécie apreendidos.