Apesar da pandemia e das restrições de segurança contra o coronavírus a maioria das praias do litoral gaúcho seguem abertas e recebendo visitantes, por isso o Governo do Estado por meio da Brigada Militar está promovendo a tradicional mobilização de segurança nas praias gaúchas na temporada de verão por meio da Operação Golfinho 2020/2021.

Em Tapes, o 5º Pelotão da Brigada Militar já recebeu nesta semana o reforço de 15 novos policiais que devem permanecer na cidade até o final de fevereiro de 2021. O grupo é formado por 13 soldados, sendo três mulheres e dez homens, mais um tenente e um sargento, oriundos de diversas cidades do estado.

O comandante do 5º Pelotão, tenente Luis Veríssimo da Rosa comemorou a chegada do reforço e explicou que os novos policiais irão atuar em atividades de policiamento ostensivo em apoio ao efetivo orgânico.

“Com o acréscimo do efetivo da Operação Golfinho chegamos próximo do ideal do que seria o policiamento na nossa cidade. Desta forma podemos intensificar as abordagens e a ação de presença na área central e bairros de Tapes” destacou o tenente.

O comandante ainda detalhou que todos os dias deverão haver barreiras de trânsito, visando a fiscalização e verificação de possíveis veículos clonados e/ou indivíduos foragidos da justiça.

A exemplo da edição anterior este ano a operação conta com uma dupla de policiais motociclistas atuando pela ROCAM (Rondas Ostensivas com Apoio de Motocicletas).

Comando rodoviário

O efetivo do Comando Rodoviário da Brigada Militar (CRBM) também deverá atuar na Operação Golfinho 2020/2021 que contará com reforço de recursos humanos e materiais, buscando garantir a segurança de veranistas e moradores que se deslocam pelas rodovias.

No Litoral Sul e Costa Doce serão atendidos sete municípios compreendendo 99 quilômetros de malha rodoviária. Serão adotadas ações proativas de policiamento ostensivo, assentadas nas fiscalizações, patrulhamento e ocupação de pontos estratégicos, a fim de coibir a incidência de infrações, acidentes de trânsito e delitos penais.

Com informações de Comunicação Social do CRBM