A Polícia Civil através da Delegacia de Polícia Especializada na Repressão aos Crimes Rurais e Abigeato (Decrab) de Camaquã e da Delegacia de Polícia de Canguçu, deflagraram a 3ª Fase da “OPERAÇÃO RECOLUTA” no município de Canguçu, ocasião em que foi efetuada a Prisão Preventiva do líder da quadrilha de abigeatários responsável por cerca de 25 ocorrências de Furto Abigeato, bem como a revisão de mais duas propriedades rurais, onde o rebanho bovino foi revisado e resenhado, sendo duas armas de caça apreendidas e dois indivíduos encaminhados a delegacia para prestar depoimento.

A “Operação Recoluta” teve início no mês de fevereiro em uma ação conjunta entre a Decrab Camaquã e a DP Canguçu, sendo deflagrada no dia 7 de maio, ocasião em que foram realizados cerca de 20 Mandados de Busca e Apreensão nos municípios de Canguçu e Balneário Cassino, além de 3 Mandados de Prisão Preventiva, sendo que os três indiciados ainda encontra-se presos graças ao entendimento do Poder Judiciário e do Ministério Público de Canguçu.

No decorrer das investigações a Decrab Camaquã coletou provas de autoria que deram sustentação as informações de que os três indivíduos presos preventivamente agiam sob determinação de um líder, o qual não só receptava os animais furtados vivos, bem como participava efetivamente dos furtos, como ficou comprovado quando este foi preso em flagrante na cidade de Piratini, transportando cerca de 10 animais bovinos em seu caminhão. Foi representado pelo pedido de Prisão Preventiva, sendo acatado pelo Ministério Público e pelo Poder Judiciário. O líder do grupo era popularmente conhecido como “O abigeatário que ficou rico em Canguçu”, apontado como o maior abigeatário da região.

Depois de formalizada a prisão, com o apoio da secretaria de Agricultura através de agentes da Inspetoria Veterinária, foi realizada a vistoria em duas propriedades rurais sendo vistoriado 202 animais bovinas, não sendo constatado nenhuma irregularidade.

A operação foi coordenada pelo delegado, Peterson da Silva Benitez, da Decrab Camaquã e contou com o apoio da Delegacia de Polícia de Canguçu, da Delegacia de Polícia de Tapes, da 29ª Delegacia Regional e da Secretaria de Agricultura num total de 15 agentes em 5 viaturas.