A Polícia Federal cumpriu na tarde desta segunda-feira, 06 de setembro, mandados de busca e apreensão na Prefeitura Municipal em Cerro Grande do Sul e na residência do prefeito Gilmar João Alba, o Gringo, na localidade de Brasino. As ordens foram expedidas pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre de Moraes que investiga a denúncia de que o prefeito pretendia financiar atos antidemocráticos em Brasília, neste 07 de setembro.

A ação policial se deu após uma grande repercussão da notícia de quando o prefeito teve a quantia de R$ 505 mil apreendidos pela PF, no dia 26 de agosto, ao tentar embarcar com o dinheiro na mala, em um voo no aeroporto de Congonhas, em São Paulo. O caso foi parar na CPI da Covid e remetido ao STF.

O prefeito nega as acusações conforme entrevista concedida ao Portal ClicR, na sexta-feira (03/09).

Ao chegarem no centro administrativo municipal em Cerro Grande do Sul, por volta das 15 horas, os agentes federais encontraram o prédio fechado em função do ponto facultativo determinado pelo feriadão do 07 de setembro. Logo os policiais conseguiram contato com a procuradora municipal e com a assessora jurídica e com a secretária municipal de Administração que abriu a prefeitura, contudo precisaram contatar um chaveiro da cidade para acessar o gabinete do prefeito.

Uma hora mais tarde, de bermuda e chinelo, Gringo chegou à prefeitura dizendo ter sabido por terceiros da ação policial e informou que estaria à disposição para qualquer questionamento. No gabinete o prefeito conversou com os policiais e relatou alguns detalhes sobre a apreensão do dinheiro em Congonhas, sempre afirmando que o dinheiro é pessoal, de origem lícita e que não seria para financiar qualquer movimento.

Os policiais deixaram a prefeitura sem fazer qualquer apreensão.

Na saída da prefeitura o Portal ClicR tentou ouvir o prefeito que disse que só irá se manifestar sobre o fato na quarta-feira (08/09). Já a procuradora e a assessora jurídica municipal informaram que não estavam autorizadas a falar sobre o assunto.

Ainda antes de deixar a prefeitura, Gringo disse que estava com pressa de ir pra casa pois soube que os policiais estavam na sua residência. O Portal ClicR não esteve na casa do prefeito por se tratar de uma propriedade particular.