Por Claudinei Medeiros Kubiaki – Presidente do Sindicato dos Municipários de Tapes

A política faz parte do nosso dia a dia, de uma forma ou de outra sempre está presente, as vezes pro bem as vezes pro mal, mas sempre presente.

São os direitos e deveres de todo e qualquer cidadão, controlado pelos três Poderes, (Executivo, Legislativo e Judiciário), dentro de uma regra geral e verdadeira onde o certo é certo e o errado é errado, com o devido respeito entre os mesmos e a união de todos para o crescimento, fortalecimento e enriquecimento de uma nação.

A politicagem é hoje um dos maiores males praticados no Brasil, usam discursos decorados, frases de pessoas que já não estão mais nesse plano, com a ideia de ludibriar as pessoas nas suas campanhas políticas e depois passam a defender seus próprios interesses, rasgando o verdadeiro significado da palavra política.

 

Vivemos momentos novos, mudados, de certa forma assustadores. Mas na política brasileira nada muda. Candidatos eleitos na maioria baseado em campanhas mentirosas, e agora no e com o poder votam as chamadas Leis e/ou mudanças das mesmas, em prol de vantagens pra si próprios, e o povo que na verdade eles representam e deveriam escutar, fica inerte sem direito ao grito de quero ou não quero. Tudo pelo din din. Quem soltar mais leva a vantagem. Por outro lado, surgem donos de movimentos contra isso ou a favor daquilo, como se fossem os salvadores da Pátria Amada e logo ali na frente se candidatam com base no histórico das lutas, se elegem e mudam de lado, e assim segue a engrenagem do quem pode mais chora menos. Se está a representar o povo, faça isso, decida e vote pelo melhor, acho desnecessário movimentos contra essa ou aquela PEC disso ou daquilo. Será que é preciso o povo acordar, ou realmente é o povo que gosta disso tudo assim como está? Afinal todos de uma forma ou de outra levam suas vantagens, e caímos nas velhas frases; tá ruim mais tá bom, fingem que me pagam e eu finjo que trabalho, parece que o certo é fazer o errado, nada tão ruim que não possa piorar um pouco mais…

Imagem: Ilustração – Freepik/macrovector

O povo na hora de votar, opta pelas aparências, elege fulano ou ciclano e acha que fez sua parte, em tese fez uma primeira parte, agora é preciso acompanhar o mandato dos políticos ou então nunca aprenderão nada. Candidatos à Presidência são meros fantoches/marionetes. A casta verdadeira não muda e a triste realidade é que não estão nem aí para o nosso Brasil.

Precisamos urgente de reformas administrativa, tributária, fiscal, entre outras e isso tem que ser feita e aprovada por quem está lá para defender o povo, e foi eleito para esse fim. Esse desgaste de greves, encontros, mobilizações nas ruas para ir contra isso ou aquilo é perda de tempo. A privatização da Corsan é um exemplo disso. Esses atos prometidos para o 7 de setembro, não haverá vitoriosos e sim somente derrotados. Um país não pode crescer pelo ódio e disputa entre seu povo. Bem ao contrário, somente com a união de todos poderemos avançar verdadeiramente.