Carinhosos, afetuosos e muito fofos, os gatos conquistam seus tutores com seu jeito único. E, apesar de todo o amor e cuidado oferecido ao bichano, é comum sermos surpreendidos com a sua fuga, que muitas vezes, pode durar dias. Mas afinal, por que os gatos somem?

Se você pensa em adotar um gatinho, é muito importante entender o comportamento deste pet independente e curioso, além disso, compreender também como eles pensam e um pouco dos seus instintos. Conheça mais sobre os gatos e saiba, de uma vez por todas, porque eles não resistem a uma “escapada” de vez em quando!

Gatos: animais quase domésticos

Apesar de serem bichinhos de estimação adorados em todo mundo, os gatos ainda trazem muitas características selvagens. E, como o felino se imagina o tempo todo em uma selva, seu conceito de casa também é diferente. Seu lar pode ser a casa de seu tutor, mas abranger também o terreno vizinho e os telhados da região.

Claro, ele ainda vai ter seus locais preferidos, como sua almofada ou uma cadeira da cozinha. Mas, para o gato, seu lar é o mundo, e quando sobe no telhado ou vai na árvore da esquina, para ele, ainda está dentro da sua casa!

Uma pequena fera em casa

Quem é tutor de gato não pode negar: eles são os reis da casa! Pois saiba que este pensamento não está muito longe da verdade para os bichanos. O comportamento de um gato doméstico é muito mais parecido ao de um leão que o do cachorro com um lobo, por exemplo. Isso porque gatos são muito territorialistas, aventureiros e curiosos. Frequentemente, somem porque estão explorando seu “reino”. Apesar da preocupação que seus hábitos podem causar, é impossível não se apaixonar por estas pequenas e adoráveis feras, não é mesmo?

A castração funciona em relação a fuga dos gatos?

Os benefícios da esterilização em pets são muito conhecidos e divulgados. Além de deixar o gato mais tranquilo e dócil, quando um gato castrado some, as chances de contraírem problemas de saúde diminuem e evitam a gravidez indesejada, contribuindo para uma criação mais saudável.

Mas, será que a esterilização ajuda a evitar fugas? A resposta é sim! Além do instinto natural do gato, muitos bichanos fogem na época do cio, buscando parceiros sexuais. Por isso, para evitar que seu gato suma de tempos em tempos, a esterilização é o primeiro passo. Até porque, ao deixar o gato mais tranquilo, diminui também a vontade que ele tem de buscar estímulos fora de casa.

Sair de casa: pode ou não pode?

Esta dúvida é muito comum entre tutores que vivem em casas térreas ou apartamentos baixos. Apesar de ser muito bom para o bichano ter espaço para brincar e se divertir, permitir que o gato saia de casa não é recomendado, já que ele fica exposto a uma série de problemas, como:

 

Acidentes com quedas e atropelamentos;

Brigas, principalmente com outros gatos;

Doenças  como esporotricose, FIV, FeLV,

Dificuldades de voltar para casa.

Em relação a esse último risco, os gatos possuem ótimos instintos, e, muitas vezes, podem encontrar o caminho de casa através do olfato e da audição. No entanto, em alguns casos, certos fatores como chuva e outras mudanças no clima podem dificultar o seu retorno.

 

Por isso, o ideal é colocar uma coleira de identificação no seu bichano para o caso de escape. Além disso, mantenha sempre a carteirinha de vacinação e de vermifugação em dia, assim como o controle de ectoparasitas.

 

Meu gato sumiu, o que fazer?

Caso seu bichano tenha fugido de casa, não fique parado, esperando que ele volte por conta própria! O melhor a fazer é procurar por ele, já que, apesar de muito independentes, a rua pode ser perigosa para os gatos. Veja o passo a passo de como fazer isso:

 

1 – Chame seu gato

O primeiro passo é chamar seu gato, de sua casa. Muitas vezes, tutores costumam chamar pelo nome, ou fazer aquele “pst pst” característico, que os gatos reconhecem. Outra opção efetiva é fazer barulho com o pote de ração.

2 – Procure nas redondezas

Como o conceito de “casa” é muito extenso para os gatos, talvez ele esteja por perto. Mas atenção: algumas pesquisas indicam que gatos podem se sentir em casa em um raio de até 8km a partir do lar do tutor. Por isso, talvez seja necessário uma boa caminhada.

3 – Pergunte pelo seu gato

Pergunte a vizinhos se o gato esteve por ali. Isso pode dar uma indicação de para que lado o bichano foi! Também é indicado buscar em abrigos e casas de animais da região.

4 – Caso tenha um microchip, procure um veterinário

Para gatos fujões ou que saem com frequência de casa, um microchip é o mais indicado. Com ele, o veterinário pode buscar a localização precisa do pet.

5 – Espere

Se após a busca, não encontrar o bichano, o que resta é esperar. Há relatos de animais que ficaram dias, e até meses fora de casa, e depois voltaram, como se nada tivesse acontecido. Portanto, é um pouco difícil definir por quanto tempo é normal um gato sumir.

Quando reencontrar o seu bichano após uma fuga, é muito importante levá-lo ao veterinário para uma avaliação. Para quem tem mais de um gato, é recomendado, inclusive, deixar o “fujão” separado até que as suspeitas de doenças contagiosas sejam descartadas.

Por fim, agora que você já sabe porque os gatos somem, tenha em mente que quanto mais estímulos o pet tiver dentro de casa, menos motivos ele terá para sair. Sendo assim, não deixe de promover o enriquecimento ambiental com a ajuda de brinquedos interativos, arranhadores, prateleiras, etc. Seja como for, também é fundamental que tutores de gato certifiquem-se de que as janelas são teladas e de que o bichano não terá fácil acesso à rua.

Com essas medidas, assim como com a ajuda da castração, pode ter certeza que o gato ficará bem, dentro de casa, vivendo por muitos anos ao seu lado!

Blog Petz