O final de semana foi de debates e trabalho para os prefeitos da região em busca de estratégia para reverter a bandeira vermelha imposta à região pelo governo do Estado, de acordo com o Distanciamento Controlado da pandemia de coronavírus.

A grande razão para a determinação é a falta de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) na Centro Sul que acaba ficando dependente da região Metropolitana, onde os índices de internação se elevaram significativamente na última semana.

O processo de implantação da UTI em Camaquã, que já deveria estar em funcionamento, emperrou na burocracia do Estado nos trâmites de licitações para aquisição de equipamentos, incluindo camas, ventiladores e outros.

Administradores municipais entraram em contato com o governador, Eduardo Leite e com a secretária estadual de Saúde, Arita Bergmann para contestar pessoalmente a medida e durante o domingo as assessorias jurídicas das prefeituras municipais que integram a Associação dos Municípios da Região Costa Doce (Acostadoce), elaboraram um documento para formalizar o recurso que foi impetrado ao final da tarde, às 18 horas.

O prefeito de Tapes e presidente do Consórcio Centro Sul, Silvio Rafaeli explicou que foi justificado no documento a pequena variação de casos de internação na região e elencadas as medidas de prevenção ao coronavírus, que vem sendo tomadas em cada município.

“O grande vilão não é o comércio aberto e que está cumprindo os protocolos de segurança com a oferta de álcool em gel, controle de fluxo nas entradas dos estabelecimentos, retiradas de provadores de roupas, higienização de carrinhos e cestas nos supermercados, enfim, mas o grande problema está na rua. São as pessoas que não estão entendendo o processo e se reunindo para fazer churrascos entre 15 pessoas ou mais. Gente que está burlando o sistema achando que isso ainda é uma gripezinha”, apontou Rafaeli.

O documento enviado ao estado também detalha um novo plano de contingência que deverá ser implantado pelos municípios para conter o avanço da doença, mesmo que a região volte a categoria de bandeira laranja.

Ainda na tarde desta segunda-feira (22) deverá haver uma vídeo reunião entre os prefeitos e o governador Eduardo Leite para tratar do tema, logo depois ocorre o julgamento do recurso e às 18 horas sai a definição do que ficar definido.