Problema na rede elétrica de escolas gera impasse

Mariana Pimentel
O uso da mesma rede elétrica entre a escola estadual Gonçalves Ledo e a escola municipal João Ziulkoski Filho que estão construídas no mesmo terreno pertencente a prefeitura gerou muito debate nas redes sociais. O fato chegou a ser tratado como um “gato” da prefeitura devido ao Estado pagar as faturas da conta de luz e o tema provocou muitas críticas à administração municipal principalmente após uma postagem na fanpage “Mariana da Depressão” que acusou a prefeitura de estar sendo negligente após ter um princípio de incêndio na fiação elétrica que fica no pátio da escola João Ziulkoski Filho. Conforme a postagem, teve uma sobrecarga de energia fazendo com que os fios do relógio medidor de eletricidade pegassem fogo. O incidente ocorreu no dia 10 de março deste ano.
Em sua página no facebook a prefeitura municipal disse que o motivo do incêndio não foi a sobrecarga e sim por conta de um problema na fiação externa que entrou em curto circuito após um caminhão ter passado e encostado nos fios.
Ainda esclarecendo sobre o suposto “gato” a prefeitura informou que é uma parceria entre o município e o Estado. Para evidenciar a parceria a administração municipal entrou em contato com a 12ª Coordenadoria Regional de Educação (CRE), que respondeu através de um e-mail estar ciente do uso da energia e diz ser primordial a parceria que é em prol da educação.
Com a intenção de regularizar a situação o município que inclusive já tem instalado desde 2019 uma rede elétrica nova na escola João Ziulkoski Filho foi até a 12ª Corregedoria Regional de Educação em Guaíba no último dia 14 de maio. Na ocasião o vice prefeito Betinho Golanski juntamente com o chefe de gabinete Gabriel Bolzan e a técnica de contabilidade Isanara Kubischewski solicitaram a visita de um engenheiro do Estado para avaliar a situação da rede elétrica para que novas medidas sejam adotadas.
No dia 18 de maio, a 12ª CRE enviou uma equipe técnica para verificar a situação das escolas que estão construídas no mesmo terreno e são abastecidas por uma única rede, a parceria que dura anos começou a ter problemas elétricos desde que a prefeitura instalou um aparelho de ar condicionado em cada sala de aula da escola municipal, alguns problemas externos também já foram pautados com a empresa CEEE que fornece a energia.

Análise do Estado
A equipe técnica Jurandir Motta detectou os problemas na rede do Estado e informou que a situação será especificada em um relatório de visita, porém é necessário que a direção da escola Gonçalves Ledo entre com um processo de pedido de urgência para a realização de um projeto de rede elétrica.
Os técnicos explicaram que os projetos desta natureza podem ser realizados apenas por especialistas e o Estado possui apenas 3 engenheiros elétricos para atender todos os 496 municípios, então esta falta de profissionais pode acarretar em morosidade na solicitação.

Município vai aguardar a solução
A administração municipal diz que quer a solução do problema e que tem tentado algumas vezes a separação das redes entendendo que é necessário pensar na segurança dos alunos e no cuidado com o patrimônio público.
Também se dispôs a fazer as instalações necessárias para que o município tenha sua própria rede de energia separada do Estado compreendendo que melhoraria o fornecimento para as duas escolas.
“Nós estamos disponíveis para auxiliar o Estado e queremos ajudar a resolver esta situação, pensando no que seja melhor para nossos alunos, que são filhos de Mariana” destacou Gabriel Bolzan que ainda afirmou que o município vai continuar insistindo nesta pauta e acompanhando o caso também na 12ª CRE.

Fechar

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios
%d blogueiros gostam disto: