Procel economiza 22,7 bilhões de quilowatts-hora em 2021

Economia equivale a 4,54% do consumo de energia elétrica do país

O Programa Nacional de Conservação de Energia Elétrica (Procel) respondeu pela economia de cerca de 22,73 bilhões de quilowatts-hora (kWh) de energia elétrica em 2021, o que corresponde a 4,54% do consumo total de eletricidade no Brasil.

Esse volume é suficiente para atender 11,49 milhões de residências durante um ano. A redução do consumo de energia elétrica é equivalente à energia gerada por uma usina hidrelétrica com capacidade de 5.451 MW, revela o Relatório de Resultados 2022 – ano-base 2021 do Procel, divulgado hoje (20).

O documento indica que essa economia significa quase metade da produção da Usina Hidrelétrica de Belo Monte, no Pará, ou 2,5 vezes a produção das usinas nucleares Angra 1 e 2 juntas, situadas na Costa Verde do estado do Rio de Janeiro.

As ações desenvolvidas pelo Procel, no ano passado, contribuíram também para que o Brasil evitasse a emissão de 2,87 milhões de toneladas de gás carbônico equivalente (tCO2e) na atmosfera, o que equivale às emissões geradas por 987 mil veículos em um ano.

Com investimento de pouco mais de R$ 300 milhões, os resultados alcançados pelo Procel em 2021 foram considerados “altamente satisfatórios”, tendo em vista o cenário do país no ano passado, com onda de casos de covid-19 no primeiro trimestre e a maior crise hídrica energética em 91 anos.

A estimativa é que as ações fomentadas pelo programa contribuíram para reduzir a demanda em 7.508 megawatts (MW). O custo anual evitado, em função dos resultados energéticos proporcionados pelas ações do Procel no ano, atingiu em torno de R$ 4,261 bilhões.

Fomento

O gerente do Programa Nacional de Conservação de Energia, Marcel da Costa Siqueira, comentou que, diante do cenário de insegurança energética, os resultados obtidos mostraram que o programa exerceu o seu papel de fomentar políticas públicas de Estado ao destinar a aplicação de recursos públicos para projetos que possam dar retorno imediato para a sociedade. Segundo ele, são mais de 150 projetos que se encontram em andamento de forma simultânea.

Siqueira lembrou ainda outro ponto importante que “é o efeito multiplicador do programa que os números não mostram, já que as metodologias e os profissionais capacitados pelo programa servem ao mercado em geral, independentemente dos investimentos diretos do Procel”.

O relatório registra também o valor empenhado em 2021, de R$ 306,6 milhões, para o desenvolvimento de novos projetos para os próximos anos. Esses recursos são provenientes da Lei nº 13.280/2016 (Lei do Procel), que determina um orçamento próprio e permanente para que o programa possa realizar investimentos em projetos de eficiência energética. Graças à lei, a Eletrobras, que é a entidade jurídica executora do Procel, não precisa investir recursos próprios nos projetos do programa, e é ressarcida posteriormente pelos custos administrativos e de pessoal cedido para os trabalhos do Procel.

Desde a sua fundação, em 1985, o Procel contabiliza investimentos em eficiência energética da ordem de R$ 3,89 bilhões em recursos próprios da Eletrobras, da Reserva Global de Reversão (RGR), de outros investimentos de fundos internacionais e, desde 2016, com recursos da Lei 13.280. A economia de energia proporcionada nesses 36 anos alcançou 217,9 bilhões de kWh.

Projetos inovadores

Um dos destaques do Procel em 2021 foi a alocação de recursos em projetos inovadores, como o Programa Lab Procel, integrante do 2º Plano de Aplicação de Recursos do Procel (PAR-Procel 2018/2019), cujo objetivo é acelerar soluções de eficiência energética. Em 30 meses de atividades, com foco em startups (empresas emergentes) e micro e pequenas empresas, o Lab Procel foi executado por meio de convênio entre a Eletrobras e a Firjan/Senai, com recursos no montante de R$ 16,670 milhões para a aceleração e pré-aceleração tecnológica e de negócios das soluções inovadoras. Desse total, o Procel participou com R$15 milhões.

Para o engenheiro da Eletrobras, Thales Terrola e Lopes, integrante da equipe de coordenação do Lab Procel, “os resultados alcançados pelo Programa Lab Procel mostram a assertividade desse projeto, que traz como principal resultado a oferta ao mercado nacional de soluções em eficiência energética dotadas de elevado grau tecnológico e capazes de trazer benefícios energéticos aos seus usuários”. Terrola e Lopes observou ainda que as empresas participantes estão agora mais preparadas para enfrentar os desafios do mercado.

Outra iniciativa inovadora implementada pelo Procel é o projeto de desenvolvimento do Centro de Excelência em Eficiência Energética na Indústria. Pioneiro na América Latina, o projeto é um desdobramento das atividades do Programa Aliança, parceria do Procel com a Confederação Nacional da Indústria (CNI), Universidade Federal de Campina Grande (UFCG) e entidades do setor, para levar ações de eficiência energética para indústrias energointensivas. Com a conclusão do primeiro ciclo do Programa Aliança, no qual participaram 12 plantas industriais, foi alcançada uma economia de energia em cerca de 175 bilhões de kWh.

Novos projetos

O Relatório Procel 2022 – ano base 2021 apresenta, no capítulo ‘O que vem por aí’, algumas atividades iniciadas no ano passado e que serão concluídas nos próximos anos. Um dos projetos com maior expectativa é o “Smart Selo Procel – Aplicações em Plataforma Blockchain para Certificação de Eficiência Energética”. Aprovado no PAR Procel (2020/2021), o projeto inova ao prever o estabelecimento de aplicações e funcionalidades, em uma plataforma blockchain, para suporte ao processo de certificação de eficiência energética e reposicionamento tecnológico do Selo Procel.

Outro projeto aguardado com expectativa é a Pesquisa de Posses e Hábitos de Uso de Equipamentos Elétricos na Classe Comercial e de Serviços (PPH Comercial). A PPH Comercial é inédita no Brasil e constitui a primeira pesquisa do Procel dedicada a identificar os hábitos de consumo de energia elétrica nas classes comercial e de serviços. Com previsão de ser concluída no segundo semestre de 2023, a PPH Comercial será realizada de forma presencial em todas as 26 capitais estaduais do Brasil, além de Brasília.

No segmento de edificações, destaque para o Projeto Esplanada Solar, cujo objetivo é a instalação de usinas solares fotovoltaicas nos edifícios da Esplanada dos Ministérios, em Brasília. Serão investidos R$ 31 milhões na construção dessas usinas. Os ministérios beneficiados se comprometerão a implementar medidas de eficiência energética de baixo e médio custos, além de um Sistema de Gestão de Energia.

*Com informações de Agência Brasil

POLÍCIA

Mulher foi presa transportando crack junto com a filha de 12 anos

Na noite desta sexta-feira, 24, a Polícia Rodoviária Federal prendeu três pessoas que transportavam uma carga de crack escondida em uma mochila. A ação...

Homem é morto com paulada na cabeça em Camaquã

Mais um caso contribuiu para o aumento nos índices de criminalidade do município de Camaquã, na madrugada deste sábado (25). Um homem de 40 anos...

Polícia Civil prende seis pessoas durante operação em Camaquã

Na tarde desta quarta-feira (23), uma megaoperação contra os crimes de organização criminosa, tráfico de drogas e homicídio foi realizada no bairro Bom Sucesso,...