Cerro Grande do Sul – A tradicional Romaria das Capelinhas criada pelo padre Ângelo Bach, em 1999, este ano foi promovida de uma forma diferente pela Paróquia São José da Fortaleza, em função das restrições impostas pelas medidas de segurança contra o coronavírus.

O ato religioso, na manhã deste domingo, 16 de agosto, iniciou com a celebração da missa na igreja matriz onde os fiéis participaram respeitando os limites do distanciamento social. Em seguida, por volta das 10 horas, uma procissão motorizada conduzindo a imagem de Nossa Senhora partiu de frente da igreja e percorreu diversas ruas da cidade com breves paradas nos locais onde os devotos montaram pequenos altares para esperar a passagem da santa.

O pároco Pe. Miguel Schäffer explicou que a romaria acontece no município sempre no terceiro domingo de agosto e que neste ano precisou ser diferente, mas destaca que a devoção segue fortalecida entre os membros da igreja.

“A devoção à mãe de Jesus Cristo vem das origens da Igreja. Nas palavras de Cristo do alto da cruz dirigidas a Maria e ao Apóstolo João ‘mulher, eis aí o teu filho’. E depois disse ao apóstolo: ‘eis aí a tua mãe’ (João  19, 27), a igreja sempre viu expressa a vontade Dele de que os cristãos  acolheram Maria. O amor à Maria e o culto para invocar sua intercessão junto a Cristo  escreveram seus traços na fé e na piedade do povo ao longo da história. Uma dessas expressões aparece na oração do Rosário, que também se serve das capelinhas para Maria peregrinar entre as famílias, e as romarias, que reúne os fiéis em procissões”, detalha o padre.

Padre Miguel completa ressaltando a reciprocidade do amor entre Maria e seus devotos.

“Nossa Senhora não nos abandonou e nem nós esquecemos dela. Mesmo em nossos lares a nossa devoção continua muito viva”.

A romaria teve ainda a bênção aos veículos que participaram do cortejo. Confira o VÍDEO (colaboração/Simone Sutil).

Fotos: Jessica K. Tejada / Colaboração