Os profissionais da enfermagem de Cerro Grande do Sul organizaram um protesto no final da tarde desta quarta-feira, 30 de junho, para simbolizar apoio e se somar às mobilizações que ocorrem em nível nacional e que defendem o Projeto de Lei 2.564, de 2020, que institui o piso salarial nacional e estabelece carga horária de 30 horas semanais para a categoria.

Vestidos de preto e munidos com faixas e cartazes o grupo se reuniu em frente a Unidade Básica de Saúde 24 horas para chamar a atenção às suas reivindicações. Em seguida os manifestantes se dirigiram até Câmara Municipal, onde antes do início da sessão legislativa extraordinária, o enfermeiro Jônatas Soares usou a tribuna para se manifestar em nome da causa.

Jônatas lembrou que esta é uma luta antiga e que a categoria há tempos vem sendo esquecida pelos representantes políticos e por isso a regulamentação é necessária e urgente.

“A grande questão é que estamos aqui para cuidar das pessoas e muitas vezes esquecemos de reivindicar o que está no congresso há 20 anos. Agradecemos os reconhecimentos em forma de homenagens e aplausos, mas chega de ‘tapinhas nas costas’. É a enfermagem que está na linha de frente vacinando as pessoas, somos nós que recebemos o paciente em seu primeiro atendimento, que estamos nas ambulâncias, seja qual for a hora do dia ou da noite. Esquecemos de comer ou beber para atender a quem precisa. Portanto nossa reivindicação é justa e não dá pra esperar mais”, relatou.

Ele também falou da questão municipal solicitando que o Executivo avalie uma mudança de padrão aos profissionais da enfermagem. “Os técnicos em enfermagem estão classificados entre os de nível médio e os enfermeiros estão abaixo de qualquer outro servidor com curso superior. Não queremos ser melhores do que ninguém, mas entendemos que esse ajuste colocaria um ponto de equilíbrio e faria justiça com nossa categoria”, finalizou.