Ao som da gaita, e acompanhado da filha do artista Porca Véia, Juliana Xavier Pinto, o deputado estadual Zé Nunes (PT), que é gaiteiro, protocolou na Assembleia, o Projeto de Lei nº 421/21, que institui o Dia do Gaiteiro no RS. A proposta tem como objetivo homenagear todos os gaiteiros, homens e mulheres, de todas as idades, que por mera devoção à cultura ou por profissão, se dedicam a tocar esse instrumento, fazendo isso com paixão e compromisso pela vida toda.

“São tantos gaiteiros de grande qualidade no RS que ao citar, poderíamos deixar de fora muitos deles. Nesse sentido, queremos homenagear a todos, na pessoa de um grande artista popular. Por isso, escolhemos o dia 2 de março como uma homenagem ao Porca Véia, cantor, compositor e gaiteiro. Um grande artista da música gaúcha, que muito cantou e tocou Rio Grande afora”, explicou.

Porca Véia é o nome artístico de Élio da Rosa Xavier, que nasceu no Município de Lagoa Vermelha no dia 2 de março de 1952, e faleceu no dia 12 de junho de 2020, em Novo Hamburgo, aos 68 anos. Por motivos de saúde teve de encerrar a sua carreira de 33 anos em 2013.

Ele se interessou pela música desde criança. Durante a sua carreira fez muitos shows, tocou em bares e em bailes, participou de muitos festivais onde em alguns foi premiado como melhor instrumentista. Gravou vários discos e ficou muito conhecido tendo as suas canções tocando nas rádios de todo o estado. Foi integrante e fundador do Grupo Cordiona de baile fandangueiro, que o acompanhava. Também no início integrou o Grupo Nativo Guará.

Ligado ao meio rural até a juventude, estudou na escola técnica onde se formou Técnico Agrícola, atuando profissionalmente na área por um bom tempo. Foi na Escola Técnica Agrícola de Viamão que ganhou o apelido de Porca Véia. Assim, se tornou um dos grandes nomes da música gaúcha, popular, reconhecido como um gaiteiro com qualidade musical.

Fonte: Ascom Zé Nunes