Por Fábia Richter – Enfermeira e Gestora | Vice-presidente da Famurs

Fábia Richter

Nas últimas semanas um debate aberto e documentado pela imprensa surgiu, entre o governo do estado e os municípios. Afinal, vacinar ou não vacinar durante o feriado e o final de semana?  Vacina contra Covid, vacina H1N1. É necessário vacinar maciçamente, todos ao menor tempo possível, o mais rápido possível, como forma de diminuir os riscos para Covid e até mesmo de Gripe com a proximidade do inverno, tudo justo e correto se não fosse pela lógica de que quem está vacinando está exaustivamente cansado e desmotivado.

Quanto vale o descanso de alguém…

É inegável que muitos são gratos, inclusive há pouco tempo tivemos uma linda homenagem de “aplausos” para os diferentes profissionais da saúde.  É preciso conhecer essas pessoas. Especialmente na vacinação, quem vacina é a mesma enfermagem que monitora e cuida das pessoas na atenção primária. Cheias de responsabilidades e com muitos problemas que, infelizmente, os aplausos não conseguem resolver.

Por isso o debate precisa trazer à tona um tema importante.

O reconhecimento do trabalho da enfermagem!

Há anos nesse país a enfermagem cuida da rede de frio, de esquemas vacinais e de grandes mobilizações com roteiros e até mesmo decorações para garantir a presença de todos nas diferentes campanhas de vacinação. Cada gestor municipal nesse país que está dando conta de suas tarefas, certamente é porque a enfermagem está dando conta. Mas não podemos esquecer que são as mesmas equipes da atenção primária de saúde, equipes essas que precisam manter diabéticos, hipertensos estáveis, insuficientes cardíacos acompanhados e insuficientes renais monitorados.

Será que a população que recebe o carinho do cuidado, sabe que esses profissionais não recebem insalubridade em grau máximo para se exporem assim? Que alguns municípios que deram uma gratificação já tiraram porque as pessoas já foram vacinadas? Será que já tem imunidade? O Rio Grande do Sul está sempre ente os cinco estados que mais vacinaram em toda federação.

Parabéns ao “Estado”, parabéns aos “Municípios”, vamos vacinar no feriadão, não podemos nos dar ao luxo de ficar um dia sem vacinar… Mas esses profissionais como estão? Quanto está ganhando um profissional de enfermagem que lhe cuida? Sabe quantas horas está sem dormir? Quantos empregos tem? Faça um exercício e pergunte para a pessoa da enfermagem que tu confias e que te atende sempre… Como ele está? E como ele trabalha?  Ele te dirá e tu te surpreenderá.