Oito pacientes rondonienses recuperados da Covid-19 retornaram a Porto Velho na última quinta-feira (04/02). Seis homens e duas mulheres, com idades entre 47 e 76 anos, embarcaram em Porto Alegre por volta das 13h em uma aeronave do Corpo de Bombeiros Militar de Rondônia, prontos para retornar aos seus lares.

Todos embarcaram caminhando e conversando, em uma situação completamente diversa daquela em que chegaram ao Rio Grande do Sul. Eles desembarcaram entre 27 e 29 de janeiro e, desde então, estiveram internados nos hospitais de Clínicas, Conceição e Vila Nova, na capital.

Apenas um dos pacientes precisou fazer uso de oxigênio do tipo óculos nasal durante a decolagem, por precaução e para manter a respiração estável. “Agradeço por ter sido tão bem tratada aqui no Rio Grande do Sul. Indescritível o cuidado que cada uma das pessoas teve comigo no hospital [de Clínicas]”, disse Antusa Jandira Nobre das Neves, 47 anos.

“Este é um momento emocionante e nos dá esperança de que um dia isso tudo [a pandemia] vai acabar”, afirmou o médico da empresa de transporte de urgência Transul, Bruno Seligmann, que trabalha voluntariamente para fazer o traslado desses e de outros pacientes vindos de outros Estados para tratamento no Rio Grande do Sul.

04 02 benedito 3
Um avião Cessna do Corpo de Bombeiros de Rondônia transportou os pacientes recuperados no RS – Foto: Maurício Tonetto / Palácio Piratini

Ao todo, já tiveram alta 14 pacientes vindos de Rondônia para receber assistência hospitalar no Estado. Além dos oito que embarcaram na quinta-feira (4/2), uma mulher retornou no dia 29 de janeiro e outros cinco pacientes (quatro mulheres e um homem) voltaram para seus Estados no dia 1º de fevereiro. Os seis retornaram em voos comerciais. Entre os pacientes que vieram de Manaus, nenhum teve alta ainda.

O Departamento de Assistência Farmacêutica da Secretaria da Saúde (SES) aproveitou a vinda do avião para pedir que o governo de Rondônia cedesse, por meio de permuta, medicamentos que estão com os estoques críticos no Rio Grande do Sul. Foram trazidos 14 mil comprimidos dos medicamentos Raloxifeno e Fludrocortisona, que são tratamento para as doenças hiperplasia adrenal congênita e osteoporose, respectivamente. Em contrapartida, o Estado enviou para Rondônia medicamentos que somam o mesmo valor (R$ 33 mil).

*Fonte: Governo do RS